Prejuízo retrata a queda da B2W na dominância do e-commerce brazuca. Foto: reprodução.

A B2W divulgou na madrugada desta quarta-feira o seu relatório trimestral, anunciando um prejuízo líquido acima do esperado. O valor do revés foi estimado em R$ 38,9 milhões, um aumento de 86,1% nas perdas em relação ao mesmo período no ano pasado.

Conforme pesquisa divulgada pela Reuters, analistas aguardavam para a B2W um prejuízo de R$ 29,7 milhões. O prejuízo da companhia foi 31% acima do projetado, mas abaixo do registrado no trimestre anterior, que foi de R$ 42,8 milhões.

No relatório, a empresa de comércio eletrônico também anunciou R$ 1 bilhão em investimentos de melhorias em tecnologia, inovação e logística no triênio de 2013 a 2015. Nos próximos dois meses estão previstas a criação de quatro novos centros de distribuição no Brasil, com dez novos centros a serem inaugurados nos próximos três anos.

DIFICULDADES DE ENTREGA

A B2W, empresa que resultou da fusão entre Submarino, Americanas e Shoptime, vem enfrentando dificuldades para solucionar problemas operacionais. Após a integração das plataformas, problemas como atrasos e erros em entregas.

A receita líquida da companhia cresceu 1,5 por cento no segundo trimestre sobre um ano antes, para 996,9 milhões de reais. Já o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização recuou 34,3% por ano, para 79 milhões de reais de abril a junho.

GIGANTE DO E-COMMERCE

Após a sua criação em 2006, a B2W entrou no mercado assumindo imediatamente cerca de 50% do mercado online, com um valor de mercado estimado em R$ 6 bilhões. Atualmente, segundo pesquisa do site e-bit, o grupo ainda é líder, mas possui uma fatia do mercado de apenas 25%.

O grupo controla as empresas Lojas Americanas, Submarino, Shoptime, bem como as subsidiárias Ingresso.com, B2W Viagens e Submarino Finance. O grupo ainda é responsável pelas operações físicas e online da Blockbuster no Brasil.