Gustavo Leite.

A Veritas escolheu um nome da casa para ser o seu primeiro country manager do Brasil depois da separação da Symantec.

Segundo revela o Computerworld, o contratado foi Gustavo Leite, que nos últimos três anos vinha liderando as áreas comerciais Enterprise e Setor Público da companhia de soluções de backup corporativo.

Leite veio da operação da Symantec, que vendeu o controle da Veritas para fundos em 2015, depois de quase uma década tentando uma integração dos dois negócios.

Na Symantec, Leite chegou a liderar a área que vendia as soluções da Veritas, além de ser o responsável pelas vendas no Sul e São Paulo entre 2013 e 2015.

A contratação acontece dois meses após a chegada do novo VP regional América Latina, Pedro Saenger, vice-presidente regional da América Latina da Hitachi Data Systems.

De acordo com a Computerworld, Saenger  quer dobrar a operação da companhia no Brasil até 2021, impulsionado por fatores como a nova lei de proteção de dados brasileira e na alta do volume de dados.

A Veritas detém 24% do mercado de backup e recuperação de dados no Brasil, segundo dados do Gartner, atendendo 5 mil clientes no país.

Assim como outros players tradicionais do segmento de backup como a Commvault, a Veritas está buscando se reposicionar como um player de “gerenciamento de dados em multicloud”, uma definição algo mais empolgante.

As empresas mais tradicionais da área tem sido desafiados por novos players como a Rubrik,  uma empresa com soluções do tipo que já levantou US$ 300 milhões de investidores.

A Rubrik, inclusive, já abriu uma operação no Brasil, comandada por Paulo Vendramini, conhecido pela sua passagem pela Symantec, onde passou por uma série de diferentes cargos na área comercial entre 2003 a 2013, quando a empresa detinha a Veritas.

Vendramini também participou do start da Commvault no Brasil, quando trabalhava em uma distribuidora.