A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) exige a nomeação de um DPO. Foto: Pexels.

A Vivo agora tem uma data protection officer. Andrea Mattos, diretora da recém-criada área de compliance, passa a atuar no cargo exigido pela Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

A executiva está na operadora desde 2002, atuando na área jurídica.

Mattos é formada em direito pela Universidade de São Paulo e tem pós-graduação pela Mackenzie, pela Escola Paulista de Direito, e especialização no Ibmec. 

O MobileTime relata que a Vivo já vinha trabalhando internamente nas adaptações de processos voltados para adequações à LGPD desde antes da nomeação de Mattos como CDO. 

A companhia iniciou o trabalho há quase um ano, cumprindo etapas similares às que a matriz Telefónica, na Espanha, realizou para se adequar à GDPR, a lei europeia focada na segurança de dados pessoais.

A Lei Geral de Proteção de Dados passará a vigorar no Brasil em agosto de 2020.