Marcelo Lapa Espiga e Luigi Uliana Rodrigues, fundadores da Floki Technologies. Foto: divulgação.

A Floki Technologies, startup de inteligência artificial focada no processo de compras da indústria de food service, recebeu um aporte de R$ 3,6 milhões em rodada pré-seed liderada pela Iporanga Ventures.

O investimento também teve a participação de investidores-anjo, fundadores de startups como VivaReal, Olist, Guiabolso e Apontador.

Em operação desde março, a Floki foi fundada por Luigi Uliana Rodrigues e Marcelo Lapa Espiga, engenheiros que ocuparam uma série de posições dentro da McKinsey & Co. No contato com projetos de transformação digital e com empresas do setor, a dupla resolveu apostar na tecnologia e no uso de dados para a área de compras de pequenos varejistas.

"A área de compras concentra as principais dores vivenciadas por nossos clientes, representando algo entre 30% a 40% do faturamento desses estabelecimentos. Todo dia o varejista precisa resolver um quebra-cabeça complexo de fornecedores, preços, prazos de pagamentos e preferências pessoais”, explica Luigi Rodrigues, CEO da Floki.

A partir desse cenário, a Floki propôs utilizar métodos de machine learning para gerenciar as transações entre fornecedores e estabelecimentos como cafés e restaurantes. O uso quase diário da plataforma traz um aprendizado sobre as suas preferências, tornando as sugestões mais assertivas.

Com isso, a startup garante uma economia de 20% na compra total do estabelecimento, com alguns itens chegando a ter até 70% de redução de custo. Já o tempo dedicado às compras promete ser reduzido em 80%.

Segundo a empresa, o contexto de pandemia evidenciou a relevância do setor de compras para a saúde destes negócios, o que fez a Floki crescer bastante neste período. 

"Comprar de forma inteligente se tornou uma questão de sobrevivência para muitos restaurantes, que chegaram a ver quedas de 70% do faturamento. A otimização desta dinâmica se tornou regra para a reinvenção dessas casas”, salienta Marcelo Lapa Espiga, sócio responsável pela área de produto e operações da Floki.

Com atuação concentrada na cidade de São Paulo, o cliente típico da Floki é um restaurante independente, que não está numa rede e não tem uma área de compras dedicada. 

Agora, os recursos do aporte serão direcionados para a consolidação do produto e para o desenvolvimento comercial, com a expectativa de atingir a marca de 200 clientes.

"A Floki atua em um setor extremamente analógico. A experiência de seus fundadores permitiu a modelagem de um produto altamente tecnológico, capaz de impactar imediatamente parte importante da cadeia do setor alimentício”, pontua Leonardo Teixeira, sócio da Iporanga Ventures. 

A Iporanga Ventures estreou no venture capital em 2011 e já investiu em startups como a Loggi e a Quero Educação, gerindo hoje mais de R$ 500 milhões aportados em empresas de tecnologia. Agora, investe a partir do Iporanga Early Stage II, que iniciou em setembro de 2019 e conta com 14 investimentos realizados.