Marcos Pontes, ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil.

O ministro Marcos Pontes, que comanda a pasta de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, estima que a implementação do 5G no Brasil não deve ocorrer antes do fim de 2021.

Segundo a Folha de São Paulo, ainda existe um entrave técnico, com a possibilidade de interferência com antenas parabólicas para televisão na 3,5 GHz, frequência básica de 5G em quase todo planeta e que deve ser uma das leiloadas. 

Ao todo, existem quatro frequências básicas em torno das quais o leilão vai ser feito. Ele seria em março, mas teve que ser adiado por conta do impasse.

“Um estudo inicial não foi conclusivo, então pedi um novo. Tenho que ter pelo menos uma estratégia de mitigação caso ocorra interferência. Imagino que no fim de 2021 e começo de 2022 comece a ter implementação de um piloto”, afirmou Pontes à Folha de São Paulo.

Segundo o ministro, o projeto tem avançado, mas ainda deverá sair um decreto com a regulamentação do que vai ser feito, quem vai fazer o que, quando, onde e de que forma.

Pontes também disse ao jornal que a regulamentação é das prefeituras e existe uma conversa com os municípios para instalação de antenas, ressaltando que o 5G exige uma quantidade grande.

A tecnologia 5G permite conexão com velocidade dez vezes superior à do 4G. Nos Estados Unidos e na Coreia do Sul, o lançamento comercial dos primeiros serviços, com as principais operadoras de telefonia móvel, começou a acontecer em abril de 2019.