PROBLEMAS

Serpro entra no rolo da Lava Jato

16/04/2015 16:49

Marcos Mazoni.

Tamanho da fonte: -A+A

O Serpro, estatal federal de processamento de dados, entrou no rolo da Operação Lava-Jato, por meio da conexão de uma prestadora de serviços da empresa com o ex-secretário de comunicação do PT, André Vargas.

Segundo revelou o Correio Braziliense, a paranaense IT7, que entre 2010 e 2015 venceu licitações por um valor total de R$ 52,7 milhões na estatal, repassou R$ 2,3 milhões para empresas de fachada operadas por Vargas, que fez carreira política no Paraná.

Um dos contratos investigado pelo MP é uma controversa implementação de um banco de dados Oracle Exadata no Serpro, no qual teriam sido tomadas medidas por parte da gestão da empresa para favorecer a IT7.

De acordo com relatório da Receita Federal,  a IT7 tem entre seus principais clientes órgãos públicos e estatais, destacando a Caixa Econômica Federal e Serviço Federal de Processamento de Dados, além de Celepar, CCEE, TJDF, Sefaz/PR e Companhia de Eletricidade do Acre.

Em 2013, a receita da empresa foi de R$ 77 milhões, sendo R$ 50 milhões apenas da Caixa.

O Serpro é presidido desde 2007 por Marcos Mazoni. O gaúcho, que chegou a presidir a estatal estadual de processamento de dados Procergs no Rio Grande do Sul entre 1999 e 2002, tornou-se uma figura de destaque nacional no cenário de TI ao assumir a Celepar, em 2003.

Entre 2003 e 2007, a Celepar fechou contratos de R$ 2,3 milhões com a IT7.

Em nota, o Serpro disse ao Correio Braziliense que a comissão interna e a Controladoria-Geral da União (CGU) não encontraram irregularidades no contrato de implantação do Exadata e que Mazoni só tem relações profissionais com a empresa.

Segundo o Baguete pode apurar com fontes do Serpro, a situação tem gerado rumores fortes de que os dias de Mazoni na estatal estariam contados. 

Nesta quinta-feira, 16, o presidente da estatal falou com os funcionários por meio de vídeo-conferência. Mazoni não abordou a investigação da Lava Jato, se limitando a explicar as medidas de contenção de custos em curso na empresa.

Uma das mais impopulares é o fim da oferta de chá e leite nas repartições, que agora tem que se virar apenas com café.

Veja também

PORTO ALEGRE
Mario Teza assume Procempa

Ex-diretor geral da Campus Party no Brasil, foi anunciado pelo prefeito José Fortunati como o novo presidente da Procempa.

SEGURANÇA
E-mail nacional terá backdoor?

Expresso V3, solução criada pelo Serpro para o governo, terá porta dos fundos para fins de auditoria.

ERP
Serpro vai hospedar E-Cidades

O Ministério das Comunicações pagará R$ 14 milhões ao Serpro para hospedar ERP.

GRAU DE INVESTIMENTO
Rebaixamentos vão além da Petrobras

27 empresas do país tiveram queda nos ratings, enquanto nenhuma apresentou alta nas avaliações.

SECOM APONTA
Dilma perde de WO nas redes sociais

Estudo da Secretaria de Comunicação do Governo Federal mostra que a oposição está vencendo nas redes sociais.

ZELOTES
Huawei contratou Erenice Guerra

Documentos aponta envolvimento da ex-ministra da Casa Civil no governo Lula em uma ação no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf).