PESQUISA

Vivo, Ericsson e FEI terão centro de soluções 5G

16/04/2021 10:02

Foco do projeto será em internet das coisas para o desenvolvimento da indústria 4.0.

Novo centro será localizada no campus do FEI de São Bernardo do Campo, São Paulo. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

O Centro Universitário FEI, a Vivo Empresas e a Ericsson anunciam a criação de um centro de soluções 5G para explorar as potencialidades das redes da quinta geração com foco em Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês) para a indústria 4.0.

A sede do novo centro será localizada no campus do FEI de São Bernardo do Campo, São Paulo, e contará com equipamentos da Ericsson e rede privativa 5G da Vivo, com a utilização da frequência de 3,5 GHz.

Segundo a operadora, a frequência é capaz de explorar a combinação de altíssima velocidade e latência próxima de zero, com maior confiabilidade e disponibilidade, além de ter capacidade para conectar massivamente um número significativo de aparelhos. 

Nas linhas de pesquisa e desenvolvimento, a ideia é direcionar os esforços para todos os setores industriais, com destaque às áreas de automação, logística e mobilidade urbana, além de setores que demandam uma comunicação massiva de dispositivos, como agronegócio, mineração e manufatura avançada.

"O projeto será a base para a construção de um ecossistema mais amplo, com soluções que contemplam as novas demandas industriais, potencializadas por IoT, inteligência artificial e robótica, com foco no aumento de eficiência e produtividade", explica Diego Aguiar, head de inovação, IoT e big data da Vivo Empresas.

Além de oferecer a conectividade, a Vivo participará da criação de novas aplicações a partir da experiência em inovação aberta, com projetos já desenvolvidos com startups direcionadas ao desenvolvimento de novos serviços digitais à indústria.

O FEI, que vem desenvolvendo projetos e pesquisas relacionados à indústria 4.0 e cidades inteligentes, será a plataforma para testes, treinamento e demonstrações de aplicações IoT industriais utilizando conectividade 5G, tanto para alunos como para a indústria.

Com o centro, os dispositivos em diferentes localizações no campus terão conectividade e os alunos da instituição poderão ampliar o desempenho de projetos com a rede 5G, com operações integradas e em tempo real.

"Ganham a FEI e os parceiros, pelo acesso e desenvolvimento de tecnologias de última geração, a indústria brasileira, pelo suporte à inovação, produtividade e competitividade, e os alunos, que estarão vivenciando a construção desses novos mercados e dinâmicas”, destaca Gustavo Donato, reitor da FEI.

Segundo o estudo 5G Business Potential, desenvolvido pela Ericsson, a fatia de receita em 2030 impulsionada pelo 5G representará R$ 7 bilhões para o setor da indústria 4.0, com aplicações em toda a cadeia de valor, dos insumos à comercialização e uso dos produtos. 

"Estamos falando de um segmento que já conta com um alto nível de automatização, motivo pelo qual o avanço da tecnologia de aplicações em nuvem sobre o 5G permite que rapidamente novas arquiteturas inteligentes sejam implementadas", ressalta Rogério Loripe, vice-presidente de negócios da Ericsson. 

Em dezembro de 2020, a IBM, a Flex e o FIT, instituto de tecnologia da segunda empresa, também anunciaram um acordo de colaboração para lançar um centro voltado à tecnologia 5G, porém focado em formas de impulsionar tecnologias de nuvem híbrida aberta em redes móveis na América Latina.

Com 80 anos de atuação, o Centro Universitário FEI é mantido pela Fundação Educacional Inaciana Pe. Sabóia de Medeiros e oferece os cursos de administração, ciência da computação e oito habilitações em engenharia — tendo formado mais de 60 mil profissionais.

Com uma carteira de mais de 1,5 milhão de clientes corporativos, a Vivo Empresas oferece serviços de conectividade, além de um portfólio de soluções tecnológicas com equipamentos, cloud, segurança, big data, ferramentas de colaboração, tecnologia da informação, gestão de tecnologia e IoT.

Fundada em 1876, a sueca Ericsson está presente há 95 anos no Brasil e já conta com mais de 60 operações comerciais ativas usando sua tecnologia 5G em países como Estados Unidos, Alemanha, Suíça, Oriente Médio, Austrália, Coreia do Sul, China e Brasil.

Veja também

NARRATIVAS
Ernesto Araújo coloca Huawei no holofote

Chanceler diz que foi pressionado para favorecer chineses com declarações.

POEIRA
Ivete Sangalo faz propaganda para Huawei

Ivete na TV, Michel Temer em Brasília. Chineses fazem ofensiva de imagem no Brasil.

DEFESA
Temer fará lobby pela Huawei

Gigante chinesa contratou ex-presidente para fazer um parecer sobre banimento no Brasil.

QUE COISA
Anatel não sabe direito onde tem banda larga

Associação de Provedores de Internet está atualizando as informações da agência reguladora.

VELOCIDADE
TIM: 5G DSS chega a 12 novas cidades

Depois de piloto em municípios menores, operadora avança para capitais em diferentes regiões.

PESQUISA
IBM, Flex e FIT anunciam centro para 5G

A Algar Telecom é a primeira companhia a participar de testes fim a fim com Open RAN no local.

FUTURO
As tendências tecnológicas de 2021

Internet 5G, cibersegurança e inteligência artificial são algumas das pautas.

APORTE
Monashees e Qualcomm Ventures investem na Azion

Com rodada série A, companhia pretende expandir plataforma de edge e acelerar a adoção do 5G.

VELOCIDADE
Claro: 5G DSS chega a 12 novas cidades

Até o final do ano, operadora deve levar a tecnologia a todas as regiões do país.

TELECOM
Nokia ativa rede 5G com Americanet

Anatel autorizou as empresas em caráter de teste e pesquisa para as experimentações.