Executivos consideram seus times de desenvolvimento lentos. Foto: flickr.com/photos/european_

Um levantamento realizado pela empresa de pesquisas Vanson Bourne identificou que os diretores de TI e CIOs projetam um aumento de 50% no número de aplicativos de negócios nos próximos três anos.

O estudo consultou 590 CIOs e diretores de TI de nove países – cem gestores são brasileiros. A pesquisa foi encomendada pela Micro Focus, empresa de soluções para modernização, testes e gerenciamento de aplicações.

Os resultados também apontam que cerca de um terço dos executivos considera que seus times de desenvolvimento são lentos, medianos ou ultrapassados para fazer a migração.

A maioria (79%) deles utiliza aplicativos móveis que misturam soluções desenvolvidas com apoio de empresas externas e com as próprias equipes de TI.

Quanto aos sistemas operacionais para dispositivos móveis mais utilizados pelas empresas consultadas, o Android desponta como a plataforma preferida, com 78%. O Apple iOS aparece em segundo, com 65% dos projetos, e o Windows Phone em terceiro, com 52%.

BRASIL ATRÁS DA MÉDIA MUNDIAL
Entre os CIOs e diretores de TI brasileiros consultados, 88% disseram que, em dois anos, pretendem ampliar o volume de aplicativos desenvolvidos para smartphones e em 72% o número de apps de negócios voltados a tablets.

A pesquisa identificou também que, no país, cerca de 25,62% das aplicações de negócios já rodam em dispositivos móveis, contra uma média de 30,90% no mundo.

A pesquisa identificou ainda que as três principais preocupações que estão atrapalhando o desenvolvimento de aplicativos móveis são: segurança (70%); performance (56%) e migrar os sistemas legados (45%).

O estudo identificou no Brasil que o tempo médio de entrega dos aplicativos para dispositivos móveis é maior do que o contabilizado em outros países. Enquanto que, no mundo, a maioria (39%) dos executivos demora três meses para desenvolvimento desse tipo de aplicação, no Brasil, a maior parte dos consultados (35%) demanda seis meses.