Carlos Biedermann. Foto: divulgação.

O movimento Rio Grande do Sim, uma iniciativa capitaneada pela ADVB-RS visando superar a “grenalização” do estado, anunciou a campanha "Meu Gol na Copa" para mobilizar o estado a potencializar a imagem, o turismo e os negócios antes, durante e depois do mundial.

Criada pela agência portoalegrense Morya, a campanha parte do seguinte slogan: “Querendo ou não, gostando ou não, apoiando ou não, o fato é um só: vai ter Copa”.

Entre as ações práticas desta iniciativa estão a distribuição de adesivos para estabelecimentos, com os chamadas como “Eu atendo bem”, “Eu cobro o preço justo”, “Eu respeito as diferenças” e “Eu ofereço segurança”, todas acompanhadas da hashtag #meugolnacopa.

Segundo Carlos Biedermann, presidente da ADVB-RS, a importância da campanha é a conscientização da sociedade para uma boa Copa na capital gaúcha, com turistas bem recebidos e bons negócios.

“Um coisa é ser contra o fato de o Brasil estar sediando a Copa. Outra, bem diferente, é torcer para que ela dê errado. Agora é hora de ganhar com ela. De receber os benefícios, de ter o retorno dos investimentos que foram feitos”, diz Biedermann.

Para dar uma ideia mais clara sobre a visibilidade dará ao País e ao Estado, a campanha alerta que cerca de 46% da população mundial estará assistindo a Copa, em mais de 70 mil horas de transmissão pela TV. Mais de 200 países farão matérias sobre o mundial, sobre o Brasil e sobre as cidades-sede.

“O ruim seria conviver com uma Copa e não aproveitar o que há de bom dela. Vamos tirar um aprendizado disso tudo. Por que as coisas não estão prontas, por que demoraram tanto? A Copa colocou em voga as dificuldades do País. Nem todas as obras foram concluídas, mas o povo pode mostrar que é receptivo, pode mostrar o seu valor”, afirma Michel Gralha, vice-presidente do Rio Grande do Sim.

No final de 2013, a iniciativa deu um salto de representatividade com a criação de um comitê estratégico com 12 participantes e a adesão de 28 entidades do setor empresarial ao projeto.