Funcionários no SAP Labs. Vem aí mais 500 contratações.

Atualmente com 542 colaboradores, o SAP Labs tem planos de fazer 500 contratações ao longo desse ano e do ano que vem.

É o objetivo da ampliação do centro de desenvolvimento e suporte da multinacional alemã em São Leopoldo, um investimento de R$ 51 milhões lançado nessa segunda-feira, 16.

Como o centro tem um turnover baixo (3,1% contra uma média de mercado entre 15% e 20%) e emprega profissionais relativamente experientes (61% tem mais de 5 anos de carreira, entre os quais a metade tem mais de nove) fica a questão de se as contratações não vão afetar o equilíbrio da oferta da mão de obra em São Leopoldo.

Stefan Wagner, presidente do SAP Labs, garante que não.

“Temos um acordo de cavalheiros para não buscar ativamente profissionais de parceiros”, afirma Wagner, destacando que a companhia tem em vista “o bem do ecossistema”.

Wagner destaca iniciativas de formação como o programa de trainees da companhia, no qual universitários permanecem dois anos fazendo uma rotação semestral pelo centro, obtendo experiência para serem contratados ao final.

Já em andamento há três anos com turmas anuais de 20 estudantes, o programa tem um índice de contratação de 96% enfatiza o executivo alemão. Vale lembrar que profissionais com até dois anos de experiência totalizam 21% da força de trabalho no local.

Além do SAP Labs, o Tecnosinos também tem instaladas no local parceiras da multinacional como Meta, Sofftek e FH Consulting. Isso para não falar na demanda por profissionais fora do mundo SAP, ainda nos bancos da universidade: 36% dos funcionários do SAP Labs são estudantes da Unisinos.

O presidente do SAP Labs, que participou no processo decisório que elegeu São Leopoldo para sediar o centro, ainda em 2006 – batendo Porto Alegre, Londrina e Joinville – está confiante no potencial de geração de mão de obra no local.

“Esse foi um fator fundamental na nossa decisão de vir para cá. Existe muito talento qualificado na região”, afirma Wagner.

Responsáveis pelo RH do centro frisam que a empresa tem por política pagar salários dentro da média de mercado, mas o centro optou por  um acordo em separado com o Sindppd-RS na última campanha salarial, atualmente em negociação com o Seprorgs.

O SAP Labs foi a única empresa desse porte a optar por um acordo individual. Enquanto o sindicato patronal gaúcho defende que a pressão por profissionais se encarrega de subir os salários e defende a semana de 44h, o SAP Labs concedeu em abril reajuste de 7,66% (INPC mais reajuste real de 1%) e reduziu a semana para 40h.

Mas talvez não seja o 1% de aumento real e as horas a menos que tem feito a diferença para para a empresa para contratar e reter profissionais em São Leopoldo.

Além do charme do crachá de multinacional, o SAP Labs parece que acertou numa fórmula de local de trabalho, longe das típicas baias e salas lotadas somados a detalhes como a disponibilização de bicicletas para os funcionários andarem pela Unisinos.

Vale a pena tentar copiar.