A Ughini, varejista da área de esportes, vestuário e casa com quatro lojas em Porto Alegre e Canoas, economizou uma média de 22 mil folhas de papel por mês e reduziu em três vezes o tempo de consulta a documentos online com um projeto de digitalização da Acesso Digital.

O projeto, baseado na solução Safe-Doc, engorda a carteira de clientes da companhia paulista no Sul, onde tem filiais em Curitiba e Porto Alegre, atendendo a mais de 21 contratos ativos, que respondem por mais de 8% do faturamento geral.

Conforme Amarildo Cruz, gerente de Crédito e Cobrança da Ughini, a solução também ampliou a segurança no gerenciamento eletrônico dos cartões private label da rede gaúcha, que tem registrados cerca de 90 mil clientes ativos e aprova 5,5 mil propostas de cartões por mês.

“A digitalização de documentos trouxe economia principalmente na logística dos documentos, que era realizada via malotes ou correios. Agora, tudo é enviado por e-mail ou visualizado no portal com acesso seguro na internet”, detalha Cruz.

Segundo ele, as cerca de 22 mil impressões dispensadas por mês com o novo processo trazem economia não só em papel, mas também em espaço de arquivo, malote e tonner.

“Ganhamos também em agilidade, organização e facilidade de administração”, comenta o gerente. “O cliente não precisa mais esperar muito para ter seu crédito concedido: pode utilizar o cartão em questão de poucos minutos", complementa.

MOROSIDADE ZERO

Isto porque, segundo o executivo, o processo era moroso antes do Safe-Doc.

Para obter e desbloquear o cartão, por exemplo, o cliente devia ir à loja, preencher o formulário e entregar documentos, dos quais a loja fazia cópias físicas, enviadas à central para análise.

Após esta etapa, havia o preenchimento e análise da proposta de adesão, aprovação da mesma, geração do número do cartão e, finalmente, liberação do crédito.

"Todo este processo físico poderia apresentar alguns problemas, como documentos ilegíveis, com fotos antigas e cópias em preto e branco, o que dificultava a identificação de fraudes”, relembra Cruz.

A logística também era onerosa e complicada, com risco de extravio de documentos por malotes ou Correios.

Hoje, a realidade é outra: “Tudo acontece em tempo real”, conta o gerente.

Nas lojas, as promotoras digitalizam os documentos originais na hora, além de fazerem uma foto do cliente na hora, pela webcam integrada à solução da Acesso Digital, o que evita o risco de fraude.

POR MÊS

Paga como serviço, a solução também desonerou a Ughini de investimento inicial no projeto, garante Daniel Kara, consultor da Acesso Digital.

A REDE

A Ughini vende artigos esportivos, moda masculina, feminina, infantil, calçados, cama, mesa e banho.

Além disso, possui uma área industrial, a Usacon Indústria de Confecções, localizada em Tapejara, no interior do Rio Grande do Sul, onde produz uma média mensal de 50 mil peças de jeans.

A FORNECEDORA

Já a Acesso Digital é especializada em soluções de digitalização, gerenciamento e segurança de documentos, e encerrou 2011 com faturamento de R$ 12 milhões, crescimento de 71% ante o ano anterior.

Para 2012, a projeção é dobrar o faturamento, além de ampliar em 40% o quadro atual de funcionários, que fica em torno de 76 pessoas.

Além das filiais já citadas e da sede em São Paulo, a companhia tem unidades no Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Salvador e Ribeirão Preto.

Já a carteira de clientes traz nomes como Grupo Citi-Credicard, Lojas Marisa, Vivo, TIM e Cyrela, entre outros.

RUMO AOS R$ 100 MILHÕES

Para 2013, a Acesso Digital também projeta entrar em um novo ciclo, no qual serão elaborados dois novos planos estratégicos de longo prazo, um de cinco e o outro de dez anos.

Selecionada no ano passado para o grupo de apoiados pela Endeavor Brasil, entidade que atua no fomento ao empreendedorismo, a empresa planeja a criação de um conselho consultivo com os membros da instituição.

O foco: se estruturar para faturar mais de R$ 100 milhões em dez anos.