A Essilor Brasil, empresa do segmento de lentes oftalmológicas, adotou a tecnologia da Palo Alto Networks e implementou 10 firewalls nas unidades brasileiras e também nos escritórios da América Latina, uniformizando o ambiente de proteção de dados – dois appliances em São Paulo (data center principal), dois no Rio de Janeiro (data center secundário) e outros seis em países da região.

Interessada em integrar os serviços de infraestrutura de segurança (Firewall, VPN, Content Filtering), a Essilor Brasil deu inicio ao processo de implementação dos firewalls em 2011.

De acordo com Daniel Saboia, gerente de ISS da Essilor para a América Latina, cada país tinha um cenário e o grupo estava iniciando um movimento para ter uma solução global, que fosse padrão no mundo inteiro, trazendo, entre outros benefícios, maior mobilidade nas constantes viagens dos executivos ao redor do mundo. 

Assim, independentemente do lugar onde o executivo atue, as regras e políticas de segurança e de acesso locais continuam sendo respeitadas com uma só credencial.

Entretanto, como a multinacional apenas recomendou a solução (sem impor a instalação imediata), a equipe de Saboia decidiu esperar pelo início das operações da Palo Alto Networks no Brasil para dar início a uma prova de conceito (POC). 

"Financeiramente não compensava para a empresa importar o produto – por conta dos altos impostos, além da falta de capacitação e serviço local", explica Saboia.

Em 2012, a Palo Alto Networks passou a operar no Brasil e – após um teste comparativo com outras duas fabricantes do mercado, além da solução que já possuía – a Essilor Brasil decidiu instalar a plataforma da Palo Alto Networks. 

"Utilizamos critérios comparativos como investimento, despesas, retorno do investimento, qualidade no suporte, capacitação local, características técnicas (análise de aplicativo e seu conteúdo, integração, administração, performance, etc), entre uma série de outros requisitos", relata Saboia.

A diminuição de gasto com upgrade de link interno e Internet é destacada pelo gerente de ISS da Essilor para a região Latam. Isso possibilitou que a política de segurança da companhia se tornasse efetiva e – com um tráfego mais saudável na rede – o consumo de banda diminuiu. Só essa economia já garantiu o retorno sobre o investimento (ROI) em 24 meses.

Ele também enfatizou que, além de ocupar menos espaço físico e gastar menos energia, a unificação da plataforma fez o número de chamados de suporte técnico cair pela metade. 

A unificação significou trocar seis equipamentos de outro fabricante – dois VPNs, dois WebFilter e dois Firewalls – por dois appliances de alta disponibilidade instalados no CPD do Rio de Janeiro.