O IDC aponta que as vendas de PCs totalizaram 62,3 milhões de unidades no segundo trimestre. Foto: Pexels.

O IDC aponta que as vendas de PCs (desktops, notebooks e workstations) totalizaram 62,3 milhões de unidades no segundo trimestre. Os números globais registraram um crescimento de 2,7% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Os resultados superaram a previsão da IDC de crescimento de 0,3%. O valor ainda marca a maior taxa de alta ano a ano desde o primeiro trimestre de 2012, quando houve aumento de 4,2% nas vendas.

A taxa foi impulsionada em parte por um segundo trimestre fraco em 2017, mas ainda assim, os resultados atuais quebram a tendência dos três trimestres anteriores, que tiveram o mercado pairando ligeiramente acima ou abaixo do crescimento estável. 

O IDC reporta que o mercado continuou a crescer tanto para modelos premium quanto para modelos de entrada. Dispositivos baseados no Chrome OS, notebooks premium e PCs para jogos aumentaram ainda mais a variedade de produtos a partir da melhoria do fornecimento e dos preços das placas gráficas.

As 5 maiores empresas do mercado (HP, Lenovo, Dell, Apple e Acer) cresceram juntas acima de 7% e capturaram quase 78% do mercado total. 

Os números mostram que muitos mercados estão começando agora um processo de renovação dos parques de PCs, que chegou mais cedo no Brasil.

Em 2017, enquanto o mercado mundial de computadores caiu 2,8%, as vendas no país tiveram uma alta de 15%, atingindo um total de 5,19 milhões de unidades vendidas. 

No último trimestre do ano passado, o mercado chegou ao 13º trimestre consecutivo de declínio das remessas globais, bem como o sexto ano em queda. Já o Brasil, no mesmo período, teve o primeiro ano de crescimento nas vendas desde 2011.

As projeções para 2018 indicam um crescimento de 2% no Brasil, com vendas em torno de 5,3 milhões de máquinas.