Foto: divulgação.

O Instituto do Coração (InCor), do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, está testando a Observação Virtual de Pacientes (VPO), da NTT Disruption, uma nova solução tecnológica para Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs).

Durante a transmissão de vídeo de cada leito de UTI, a VPO utiliza placas aceleradoras Xilinx Alveo, que possibilitam detectar eventos de aprendizagem da máquina. Assim, a solução testada deve prever comportamentos, movimentos ou ações predefinidas dos pacientes.

Ela sabe diferenciar um paciente sentado, saindo do leito, ou acenando a mão, por exemplo, e faz alertas em tempo real, que são atribuídos com base no nível de atendimento por comportamento predefinido.

Na prática, a ideia da solução é monitorar os pacientes 24 horas por dia, sete dias por semana, e facilitar uma rápida resposta em caso de ocorrência de eventos, prevenindo riscos típicos da UTI, como extubação acidental ou remoção de catéter intravenoso.

“O sistema também pode indicar sinais e problemas potenciais para que a equipe médica auxilie o paciente antes que o problema se torne crítico ou que os pacientes causem lesões em si próprios. Esta é uma tecnologia excelente, especialmente em UTIs de alta complexidade como a do InCor”, afirma José C. Nicolau, diretor da UTI Coronariana do InCor.

Segundo as empresas, a privacidade do paciente é protegida e, durante esse projeto, os resultados da eficácia da solução serão analisados. No futuro, ela também poderá ser personalizada com base nas necessidades de cada instituição de saúde ou ala hospitalar.

Além disso, a VPO pode ser escalonada para permitir que a equipe de enfermagem realize respostas em tempo real, independentemente do número de eventos ou do aumento de leitos monitorados. 

“Como as instituições de saúde continuam a adotar tecnologias hospitalares mais inteligentes, esperamos melhorar os resultados dos pacientes e reduzir os custos do setor de saúde”, afirma Freddy Engineer, diretor geral da Global Datacenter BU, da Xilinx.

A americana Xilinx, especializada em circuitos integrados, foi fundada em 1984, no Vale do Silício. Em 2017, último ano divulgado, seu faturamento foi de US$ 2.349 bilhões.

Lançada em 2019, a NTT Disruption é uma divisão do grupo japonês NTT, que comprou a espanhola Everis por US$ 761,2 milhões em 2013 para ampliar sua presença em regiões na qual a companhia tinha pouca presença, como a América Latina. 

A Everis faturou € 1,4 bilhão no ano fiscal finalizado em março de 2019, uma alta de 22% frente ao período anterior.

Fundado em 1977, o InCor reúne as subespecialidades da cardiologia e da pneumologia e realiza, em média, 260 mil consultas médicas por ano, cinco mil cirurgias, dois milhões de exames de análises clínicas e já realizou mais de 1 mil transplantes de coração e pulmão.