Acervo será composto por 10 milhões de faixas. Foto: flickr.com/photos/nadworks.

Tamanho da fonte: -A+A

O portal Terra, do grupo espanhol Telefónica, fechou acordo com o serviço de músicas Napster. O negócio prevê, a partir do dia 1º de novembro, a substituição do Sonora, que funciona há seis anos nos países onde o Terra opera.

A pretensão é que o número de assinantes cresça 30% nos primeiros 12 meses, de acordo com matéria do jornal Valor Econômico. No ano passado, o Sonora tinha 500 mil assinantes.

Com essa parceria, o terra passa de 4,5 milhões de faixas no seu acervo para 10 milhões que poderão ser ouvidas em smartphones, tablets e PCs. Além disso, será possível salvar as músicas nos dispositivos e ouvi-las offline, quando não houver conexão de internet. 

Os usuários terão disponíveis, também, notícias sobre bandas e cantores, biografias, curiosidades sobre o catálogo e interação entre os usuários. 

A partir de novembro, serão oferecidos dois planos de assinatura: o Napster Web por R$ 8,90 por mês, que permite o acesso ilimitado pelo computador a todo o catálogo, e o Napster Premium por R$ 14,90 mensais, que possui também downloads ilimitados para escutar músicas offline em até três aparelhos diferentes (smartphones ou tablets).

Até o fim do ano, o número de faixas deve atingir 18 milhões. O Napster oferece mundialmente 22 milhões de faixas.

Em fevereiro, o serviço deve atingir Argentina, Colômbia, Chile e México.

Segundo Paulo Castro, presidente global do Terra, as negociações para trazer o Napster ao Brasil começaram em novembro do ano passado para os países onde o Terra atua, mas evoluíram para um projeto maior. A Telefónica Digital, braço da operadora para a área de internet, acabou comprando uma participação na americana Rhapsody, atual dona do Napster.