Herbie antecipando tendências. Foto: reprodução.

Tamanho da fonte: -A+A

Um estudo lançado pela auditoria internacional KPMG e pelo Centro de Pesquisa Automotiva (CAR), destacou que a inovação no setor automotivo se encaminha para um futuro onde os carros podem dispensar o condutor humano.

A publicação, intitulada “Carro autônomo: a próxima revolução” foi baseada em entrevistas com especialistas em tecnologia, líderes da indústria automotiva, acadêmicos e órgãos reguladores, e em pesquisas e análises de tendências da indústria.

Segundo aponta o estudo, uma revolução no setor está mais próxima do que se imagina, mirando um futuro onde os carros se tornarão autônomos.

No relatório, a KPMG e o CAR apresentam as hipóteses a respeito de como a tecnologia de veículos autônomos poderia desenrolar-se e seus impactos potenciais – com ênfase na convergência das tecnologias veiculares baseadas em sensores e recursos de comunicação como GPS.

Além disso, o estudo destacou fatores positivos desta nova tecnologia, reduzindo acidentes relacionados a erros humanos e auxiliando a infraestrutura de transportes, as milhões de horas gastas em engarrafamentos, e o espaço urbano perdido para dar lugar a estacionamentos, entre outros.

De acordo com o estudo, mesmo que isso pareça coisa de filme futurista,  possibilidade de vermos carros rodando sem motoristas pelas ruas não é algo tão improvável quanto imaginamos.

"Testes bem-sucedidos já vêm sendo feitos pelas indústrias. Agora, a questão é saber se essa é uma tendência que vem para ficar de fato, e se será possível viabilizá-la em escala global no futuro”, afirma Charles Krieck, sócio-líder do segmento Automotivo da KPMG no Brasil.