43 mil consumidores reclamaram do serviço. Foto: Divulgação.

A Proteste entrou na justiça com ações coletivas contra as operadoras Vivo, TIM, Claro e Oi pelo serviço 3G prestado. O portal defensor dos consumidores solicitou que a venda de pacotes seja suspensa até a regularização do sistema pelos parâmetros da Anatel. 

Foram 43 mil manifestações de problemas com telefonia relatados na pesquisa feita na internet. 

Para isso, a Proteste sugere que as empresas sejam multadas caso não ofereçam o serviço como o prometido. Além disso, requereu indenização por danos morais coletivos aos consumidores afetados por falhas, a ser paga com desconto nas contas pelo período de um ano. 

A entidade promoveu a campanha “Em busca do 3G perdido” que coletou reclamações sobre o uso da tecnologia móvel e foi um incentivo para os consumidores buscarem seus direitos individualmente. 

O objetivo é exigir que os contratos sejam cumpridos no país em que as tarifas estão entre as mais caras do mundo.

Para medir a qualidade do 3G, a Proteste passou por 12 estados e percebeu que o sinal regular de internet só era encontrado nas capitais e regiões metropolitanas. 

“Além da má cobertura, as operadoras também não entregam a velocidade prometida com os planos 3G”, afirma Maria Inês Dolci, coordenadora institucional da entidade.

Foram medidas as velocidades instantânea e média. A primeira deve ser pelo menos 95% do contratado e a última deve atingir o índice de 70%.