Ricardo Leite. Foto: divulgação.

A Ação Sistemas, empresa do Grupo Ação sediada em Porto Alegre e dona do software de gestão de RH Universal RH fechou um acordo com a multinacional sueca de ERP IFS, pelo qual uma empresa poderá vender as soluções da outra.

Além o carro chefe do ERP, a Ação venderá ainda as linhas de software de gerenciamento de ativos (EAM) e software de gestão de serviços (ESM).

A expectativa é alcançar uma receita de  R$ 75 milhões nos próximos três anos com a parceria, a décima primeira da IFS no Brasil.

“O IFS Applications é um produto que, assim com o Universal RH, possui tecnologia de última geração preparada para atender clientes com ambientes complexos de gestão, por isso poderemos oferecer a solução tanto em nossa base instalada quanto entrar juntos em novos projetos”, projeta Ricardo Leite, diretor comercial da Ação Sistemas.

Tanto o produto da Ação como os da IFS são desenvolvidos em banco de dados Oracle, o que, de acordo com as empresas, faz com que o seu funcionamento conjunto seja similar ao de uma solução nativa integrada.

Para Leite, com o aumento das exigências sobre a área de RH em função do eSocial, o conjunto de regras do governo para recolhimento de tributos originados da relação trabalhista e previdenciária, essa integração com o Universal RH deixará a IFS em vantagem sobre outros players.

No Brasil, a IFS está presente nos segmentos de óleo e gás, de aviação e de energia elétrica, contando com mais de 100 clientes no cenário nacional.

Em seu site, a Ação Informática informa ter clientes em áreas similares, como Chesf e Affinia, além de uma forte presença na área industrial como Dana, Marcopolo, MWM e no varejo com Herval e Walmart.

Além disso, a empresa tem por trás o poder de fogo do Grupo Ação, distribuidor que é o maior parceiro da IBM no país e América Latina e também representa Oracle, VMware, Red Hat, EMC e HP no país.

Em 2013, a Ação faturou R$ 970 milhões, um crescimento de 20% frente aos resultados do ano anterior.

Mesmo com o dólar a R$ 3,2, o Grupo Ação ainda é quase do mesmo tamanho da própria IFS, que faturou US$ 351,1 milhões no ano passado.