FECHADURAS ELETRÔNICAS

Banpará: segurança com Perto

17/03/2016 09:34

Banco vai instalar mais de 200 unidades de fechaduras eletrônicas da companhia.

O Banpará vai instalar mais de 200 unidades de fechaduras eletrônicas da Perto. Foto: Divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

O Banpará fechou um acordo com a Perto para instalar mais de 200 unidades de fechaduras eletrônicas da companhia do grupo Digicon.

O banco adquiriu equipamentos do modelo HSL 5000. Essas soluções são usadas em cofres e terminais de autoatendimento e podem ser monitoradas remotamente pela Perto. 

O principal diferencial da linha HSL 5000 é a criptografia com algoritmo não proprietária, o que significa um código de alta complexidade ao qual somente o banco tem acesso.

Segundo a Perto, a empresa fechou contratos para instalar mais de 1,1 mil fechaduras eletrônicas em bancos brasileiros. 

A Perto atua no mercado de soluções de hardware, software e serviços para bancos e varejo. A empresa possui uma planta industrial com mais de 44 mil metros quadrados em Gravataí, no Rio Grande do Sul, e escritórios em 22 cidades. Em 2016, a Perto inaugura sua fábrica em Jaipur,  na Índia.

Entre os produtos fornecidos pela companhia estão terminais de autoatendimento bancário (ATMs), terminais de pagamento de estacionamento, terminais de venda de créditos em transporte urbano, cofres inteligentes, POS, impressoras térmicas e sistema de gestão de filas.

Recentemente, a empresa tem buscado expandir seu portfólio para não ficar presa ao segmento financeiro. 

Dados da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) mostram que houve uma queda de 4% no número de caixas eletrônicos no Brasil em 2014, quando o país tinha 159 mil equipamentos em funcionamento. 

Segundo a entidade, o desempenho tem relação com o contrato assinado entre bancos e a Tecban para substituir máquinas próprias por equipamentos multibandeiras em ambientes de grande circulação de pessoas, como shopping centers. 

Reagindo a isso, a Perto lançará até o final do primeiro semestre um produto de auto-atendimento para compra de mercadorias em estabelecimentos comerciais.

O chamado self check é um equipamento pelo qual os clientes de um supermercado, por exemplo, podem registrar o preço dos produtos adquiridos e fazerem o pagamento eles mesmos.

Veja também

ATUALIZANDO
BNB: infra de mainframe com IBM

Todas as aplicações e o ERP SAP usados pelo banco terão sua base de dados armazenada em DB2 IBM.

FINANCIAMENTO
BB lança app GeoMapa Rural

App permite aos produtores rurais capturar as coordenadas geodésicas das áreas a financiar. 

ATM
Banco da Amazônia: segurança com Perto

A empresa instalou kits de tecnologia anti-skimming em 157 ATMs.

CARREIRA
Ex-Itaú é diretora de RH da Totvs

Nos últimos 10 anos, Rita Pellegrino atuou no Itaú, onde foi gerente de RH.