Organizadores do GDG Norte RS. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

Foi lançado na Universidade de Passo Fundo esta semana o GDG Norte RS, o primeiro grupo de desenvolvedores Google do Rio Grande do Sul.

Aberto para estudantes de computação da universidade e de instituições vizinhas, assim como para profissionais de TI que atuam na região norte do estado, o grupo tem foco na criação de soluções baseadas em tecnologias da empresa norte-americana.

O grupo se subdivide em quatro linhas de pesquisa. Os grupos - cada um coordenado por um corpo de organizadores - se concentrarão em projetos de Android, HTML5, drones e Chrome OS.

Os atuais organizadores do "GDG Norte RS" são os professores da UPF Willington Pavan, José Maurício Maciel, Jaqson Dalbosco, Rafael Rieder, o professor do IFSUL Alexandre Tagliari Lazzaretti e Vinícius Cerbaro, do curso de Ciência da Computação da UPF.

Com a chancela do Google, que fornece suas ferramentas e apoio, inclusive com a possibilidade de visitas de profissionais da empresa, o grupo organizará palestras e outros eventos com a finalidade de compartilhar conhecimento e apresentar novidades das tecnologias da empresa de Mountain View.

COMO FOI
Conforme explica Dalbosco, a implantação se deu por intermédio de um ex-aluno do Curso de Ciência da Computação, Ricardo Ogliari, que propiciou o contato com o developer advocate da Google responsável pela organização dos grupos.

Após demonstrar interesse em levar o projeto para Passo Fundo, os professores da UPF Willingthon Pavan e José Maurício Maciel visitaram o escritório da empresa em São Paulo para conhecer o programa dos grupos de desenvolvimento.

O grupo de Passo Fundo, embora seja o primeiro do estado, não é o primeiro da região sul. Blumenau já conta com um grupo semelhante, com pesquisas na área de Android, Google APIs, GWT e App Engine.

O novo GDG é o décimo do país. Além de Passo Fundo e Blumenau, as outras cidades do país com estes centros são Belo Horizonte, Campinas, Goiânia, João Pessoa, Natal, Salvador e São Paulo, que possui dois grupos.

Para Dalbosco, a presença de um grande player como o Google dentro de comunidades em diversas partes do país mostra a iniciativa da empresa em buscar soluções para seus produtos.

"É uma forma da empresa desenvolver práticas e buscar talentos para sua empresa, colaborando também com o desenvolvimento acadêmico e econômico das regiões com a qualificação dos profissionais", observa o professor.

Um exemplo citado por ele foi a mobilização do setor privado em torno do grupo. Cerca de quinhentas pessoas, entre estudantes, professores e representantes das empresas da região assistiram à cerimônia de lançamento.