Da esquerda para a direita: Carlos Garcia, Mauricio Rostán e Leandro Bonilla. Foto: Frederico Lanzon.

Tamanho da fonte: -A+A

A Zonamérica, polo de tecnologia em zona franca que ocupa 95 hectares a cerca de meia hora do centro de Montevidéu, iniciou uma investida para atrair empresas brasileiras.

Hoje, das cerca de 350 companhias instaladas no local, menos de 10% são uruguaias. Ou seja: o foco é o exterior, que hoje soma presença massiva de empresas norte-americanas, européias e asiáticas, além de latino-americanas entre as quais as da Argentina se destacam.

Do Brasil, são poucas, garante Leandro Bonilla, diretor de desenvovimento de negócios do parque.

Uma realidade que eles pretendem mudar, e para isso iniciaram a caça às brasileiras com a participação na BITS, feira irmã da Cebit que ocorreu em Porto Alegre da terça-feira, 14, à quinta, 16.

“O que é produzido, em soluções e serviços de TI, na Zonamérica é responsável por 1,8% do PIB do Uruguai (que ficou em torno de US$ 53,55 bilhões em 2012). Queremos atrair mais empresas do Brasil, e para tanto oferecemos benefícios com a isenção tributária da zona franca e outros ligados à infraestrutura e apoio”, comenta Bonilla.

Na infra, o parque oferece dois data centers e um centro de TI próprio, que presta serviços de suporte e IaaS às empresas instaladas.

Também há serviços imobiliários, de RH e uma central de treinamento que, em parceria com as universidades do Uruguai, trabalha na seleção, qualificação e adaptação de profissionais às demandas das companhias.

“Se falta pessoal em programação, por exemplo, trabalhamos para qualificar os recursos humanos nesta área, suprindo as necessidades de contratação das empresas”, ressalta o diretor.

Para as instaladas, há a exigência de 75% dos profissionais contratados sejam uruguaios. Por conta disso, a qualificação dos profissionais em língua inglesa também é trabalhada fortemente na Zonamérica.

A missão da Zonamerica à Bits contou também com o reforço de Carlos Garcia, diretor de Desenvolvimento de Negócios de TI, e de Maurício Rostán, executivo de Contas do polo.

O time afirma que não há um cronograma estabelecido de eventos para atração dos brasileiros ao Uruguai, mas que em breve novas investidas acontecerão, focadas em todas as regiões do país.

“Temos muito interesse em atrair as companhias daqui. Há ainda algum desconhecimento sobre a Zonamérica no Brasil, mas vamos mudar isso”, finaliza Bonilla.