60% do 2,5 mil colaboradores estão trabalhando em casa.

O Voxline Contact Center adotou o Citrix Virtual Apps and Desktops, por meio da LGTi, empresa de infraestrutura focada em soluções híbridas, para mudar seu modelo de trabalho do presencial para o remoto.

Nesta primeira fase, a empresa migrou mais de 60% de seus 2,5 mil colaboradores. Antes, eles trabalhavam alocados na sede da empresa, em São Paulo, e agora fazem seu trabalho de casa.

Na prática, a solução dá acesso remoto à máquina do usuário, enquanto ela permanece fisicamente na empresa.

A integração foi realizada de forma remota, sem a presença física dos colaboradores, com duração de quatro dias. Segundo a empresa, o processo não gerou nenhuma mudança significativa em operações, sistemas, processos e aplicações.

“Tivemos essa demanda rápida e brusca da Covid-19, na qual tivemos de montar uma operação ‘a toque de caixa’. A solução da Citrix nos foi apresentada como rápida, flexível, funcional e de alta disponibilidade. Havia uma responsabilidade grande e a realidade apresentada superou as expectativas”, conta Alisson Baggio, diretor de TI da Voxline. 

Além disso, a empresa adotou a ADC, solução de networking da Citrix, com a qual os funcionários podem acessar externamente as aplicações com políticas de rede, monitoramento e certificados de segurança.

Segundo a Voxline, a qualidade de voz nos atendimentos continua a mesma e, em alguns casos, a produtividade até aumentou durante o período de home office, além do número de chamados abertos para o TI da empresa ter diminuído.

“Ficamos muito felizes em proporcionar soluções que ajudam empresas do porte da Voxline a manter a continuidade do trabalho sem exigir nenhuma mudança por parte dos colaboradores e nem causar dificuldades aos consumidores”, afirma Luciana Pinheiro, diretora de vendas da Citrix Brasil.

Fundada em 1989, a americana Citrix tem 400 mil organizações como clientes, incluindo 99% das empresas da Fortune 100 e 98% das empresas da Fortune 500.

Já a Voxline Contact Center foi fundada em 2002 por um grupo investidor com mais de 30 empresas no Brasil. Hoje a empresa conta com 25 multinacionais entre os seus clientes.