Felipe Lo Sardo, CEO da Goomer. Foto: Divulgação.

A Domo Invest acaba de ampliar seu portfólio com o investimento na Goomer, que atua com soluções de totens de autoatendimento e cardápios digitais em restaurantes. O aporte foi de R$ 3 milhões.

A Goomer foi fundada há quatro anos, em Sorocaba, e tem hoje atuação em todo o território nacional.

“Por meio desse investimento dotado de smart money, sabemos que conseguiremos evoluir muito e, com certeza, alcançaremos objetivos ainda mais ousados. Com esse aporte, pretendemos acelerar nossa atuação em duas frentes: atendimento em balcão e cardápio em tablet, multiplicando por três o tamanho neste ano e, em 2019, por quatro”, explica Felipe Lo Sardo, CEO da Goomer.

Com as soluções da startup, os restaurantes podem reduzir o número de garçons. Além disso, as empresas que utilizam os sistemas da Goomer tem aumento no ticket médio dos restaurantes entre 10% e 45%. 

“Essa variação de crescimento está diretamente ligada aos padrões de consumo de cada estabelecimento comercial. Portanto, beneficiamos não somente restaurante, como melhoramos, igualmente, a experiência para o consumidor ao oferecer totens de autoatendimento e cardápios digitais inteligentes”, complementa Rafael Laganaro, CXO da startup.

A Goomer está integrada aos sistemas de gestão de restaurantes fornecidos por empresas como Totvs Bematech Chef, NCR Colibri, NCR Aloha e Teknisa. 

“A Goomer chegou até este estágio com muita inteligência e foco na melhor usabilidade dos clientes dos restaurantes parceiros, esperamos que esse novo ciclo proporcione novos aprendizados e a abertura da Goomer para novos parceiros que estejam interessados em contribuir para o aumento da produtividade da cadeia de Food Service”, Rodrigo Borges, sócio fundador da Domo Invest.

A Domo Ventures tem foco em negócios de cunho tecnológico com atuação B2C ou B2B2C. 

Os sócios da Domo Invest participaram de mais de 50 investimentos e transações fusões e aquisições ao longo dos últimos 10 anos. Um dos nomes envolvidos é o de Rodrigo Borges, co-fundador do Buscapé. 

Em 2017, a empresa lançou seu primeiro fundo, com recursos de R$ 100 milhões para investir em até 20 startups. O fundo foi bancado com dinheiro captado junto a famílias milionárias do país, incluído Alfredo Setubal, presidente da Itaúsa.