ORACLE

Rumo leva IoT para os trilhos

17/11/2017 08:56

Profissionais da Rumo acompanham status dos trens ao vivo. Foto: Divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Rumo, concessionária de ferrovias presente em seis estados brasileiros, está em fase de implantação de um projeto de internet das coisas (IoT) que leva inteligência para o monitoramento dos trens.

O sistema, batizado de Supervisório, utiliza a plataforma de big data da Oracle e a solução de IoT da Amazon.

O chamado conta com 1.163 detectores de descarrilamento de via e vagão, 34 equipamentos de lubrificação de trilhos, 28 controladores de temperatura dos rodeiros e rolamentos dos vagões. 

Cerca de 360 mil mensagens por dia são enviadas para um software especializado que faz a análise das informações. 

Com a iniciativa, a empresa busca a prevenção de acidentes no transporte de cargas.

A solução da Rumo utiliza a plataforma da Oracle para calcular variações mecânicas nas composições, durante o trajeto percorrido. Assim, o Supervisório permite uma análise de segurança preditiva.

“Já contávamos com sensores nos trajetos para medir informações como a temperatura da roda, que pode indicar problemas mecânicos, mas não havia inteligência de dados envolvida. Agora, o Supervisório pode identificar padrões e tendências para antecipar possíveis problemas”, relata Robson Schmidt, gerente de tecnologia da informação da Rumo.

Com a continuidade do projeto, o objetivo é tornar mais automatizadas as ações de correção do trem para incidentes antecipados pelo Supervisório.

“O sistema está desenvolvido há quase dois meses e sendo implantado em toda malha. Até metade de 2018 este processo estará concluído”, detalha Schmidt.

Para o projeto, iniciado em março deste ano, a equipe de tecnologia da Rumo contou com o apoio da Multirede, de Belo Horizonte, que atua como distribuidora de marcas como Furukawa, Intelbrás, D-Link, Cisco, entre outras.

A concessionária tem 12 mil quilômetros de malha ferroviária no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso.

Com 1 mil locomotivas, a Rumo soma 25 mil vagões e mais de 13 mil funcionários diretos e indiretos. 

O projeto de IoT faz parte de uma série de investimentos previstos pela empresa na área de inovação até 2020.  

Desde então, a companhia tem recebido investimentos para se tornar mais competitiva. No ano passado, por exemplo, passou a distribuir 2 mil celulares entre os seus maquinistas como parte de um projeto para otimizar o contato com esses profissionais.

Os aparelhos tem o aplicativo Chave na Mão instalado, para que os profissionais realizem diversas atividades, como verificar suas escalas de viagens.

Veja também

TENDÊNCIA
Brasil acorda para Indústria 4.0

Entidades de tecnologia, do setor de indústria e o governo estão criando iniciativas voltadas ao tema.

ACELERAÇÃO
Tegma busca startups de logística

A ação é a primeira liderada pela TegUP, corporate venture capital lançada pela companhia.

TENDÊNCIA
Dell investirá US$ 1 bi em IoT

A empresa acaba de criar uma nova divisão de Soluções para Internet das Coisas (IoT).

LABS
Aegea: saneamento inteligente com SAP

O projeto fez parte do Innoweeks 2016, uma iniciativa de coinovação da SAP Labs.

INTEL
Vitacon busca prédio conectado com IBM

O projeto contará com um apartamento para testes de startups e empresas voltadas para smart home.

INOVAÇÃO ABERTA
Embrapa lança SitIoT para testes

A Agrosmart é a primeira startup a participar da iniciativa. 

EDUCAÇÃO
FDC abre laboratório com IBM e MRV

O Tree Lab fica no Campus Aloysio Faria, sede da FDC em Minas Gerais.

MÍDIAS
PUC-Rio tem canal no Youtube sobre IoT

O primeiro vídeo trata da “Fazenda do Futuro”.

TACADA
Fapesp: dinheiro do BNDES para IoT

O banco estatal já tem acordos similares com Finep e Embrapii, ambas federais.

TMS
Letsara: gestão logística com Senior

A empresa unificou o gerenciamento documental de unidades em cinco países.