Jeff Clarke, da Dell. Com Windows 8, agora vai. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Dell anunciou mudanças em sua política para smartphones e tablets, adotando de vez o Windows 8 e abandonando o Android nas suas plataformas móveis.

Segundo destacou o VP de operações globais da empresa, Jeff Clarke, na conferência mundial da Dell no Texas esta semana, o ecossistema de smartphones Android precisa de muito investimento para ser realmente bem sucedido.

Segundo destaca a Computerworld, Clarke observou que Google e a Amazon vendem aparelhos sem margem de lucro, apenas para compensar isso nas receitas de publicidade ou conteúdo.

Mesmo com a explicação, a decisão da Dell tem ares desesperados. Sendo um fabricante de Android, com baixas margens de tais dispositivos, não havia espaço suficiente no negócio para a Dell.

Em 2011, a linha Streak de smartphones Android, foi mal-sucedida no mercado norte-americano e rapidamente saiu das lojas, mesmo que algumas versões ainda ficaram disponíveis na Ásia por um período limitado depois disso.

Para ter uma idéia, a Dell teve lucro líquido de US$ 475 milhões no terceiro trimestre deste ano, queda de 47% em relação ao mesmo período de 2011.

"Temos sido muito claros sobre smartphones - nós não vamos produzir esses dispositivos. Nós iremos fornecer soluções para smartphones, seremos o fornecedor BYOD preferido de soluções no mercado", explicou.

WINDOWS 8

A partir de agora, nas plataformas com uso de toque, como tablets e ultrabooks, o Windows 8 será o sistema operacional de preferência.

"Acreditamos que o Windows 8 traz muita coisa para o mercado de tablets. Ele nos permite colocar esses aparelhos nas mãos de nossos clientes com uma forma e um conjunto de ferramentas de gestão que eles estão muito acostumados a utilizar", disse Clarke.

A atitude da Dell em focar seus esforços no novo sistema da Microsoft alinha a estratégia da companhia com a sua política de desktops, que já utilizam os sistemas operacionais da empresa californiana como padrão.

Além disso, o fato de embarcar suas plataformas com o sistema da Microsoft ajuda a fabricante de software a ampliar sua base de usuários, que ainda está tímida desde o lançamento do sistema em outubro.

De outubro para novembro de 2012, conforme mostra o Business Insider, as vendas de sistemas da Microsoft recuaram 21%.

Outra que também migrou para o lado da Microsoft foi a Nokia, que abandonou o seu sistema próprio, o Symbian, para se tornar uma das empresas-chave na estratégia para fortalecer o Windows 8.