Perda da Apple é maior que três grandes empresas do mercado brasileiro juntas. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

Um levantamento divulgado pela consultoria financeira Economatica divulgou nesta segunda-feira, 17, que a Apple registrou uma perda de US$ 178,6 bilhões desde 19 de setembro, uma queda em valor de mercado equivalente à soma das ações da Ambev, Banco do Brasil e Brasil Foods (BRF).

As ações da companhia amercaina começaram o dia cotadas abaixo de US$ 500 pela primeira vez desde fevereiro, negociadas a US$ 497.

De acordo com o estudo, o marco para o início da queda foi justamente no dia 19 de setembro, quando a companhia atingiu o valor recorde de US$ 658,2 bilhões.

Em comparação, no fechamento do pregão desta sexta-feira, 14, o valor da fabricante do iPhone caiu para US$ 479,6 bilhões.

Do início ano até setembro, a Apple registrou uma valorização semelhante ao valor acumulado de todas as empresas de capital aberto brasileiras do setor de bancos e energia elétrica, que contabilizam juntas US$ 283,1 bilhões.

A flutuação monstruosa de valores em torno de uma única marca - no caso, a Apple - vem da comoção gerada pelo lançamento do iPhone 5, que bateu recordes de venda em seu lançamento em outubro, mas que esbarrou em problemas de reposição do produto, que se esgotou rapidamente.

Além disso, segundo destacam os analistas do site Mashable, os problemas judiciais com patentes, e tumultos em suas unidades de manufatura, como as greves ocorridas na Foxconn, empresa parceria da Apple, contribuíram para a queda.