Marco Aurélio Neuwiem. Foto: divulgação.

O grupo de investimentos Bianchini, responsável pelo Bianchini Business Park, polo tecnológico multisetorial orçado em R$ 350 milhões que entra em construção este ano em Blumenau, acaba de comprar um prédio da Oi na cidade.

O imóvel, comprado por valor não divulgado, abriga hoje a sede do Blusoft, entidade de TI do município, e 22 empresas incubadas, que seguirão no prédio, agora denominado Bianchini Business Center, segundo Celso Narciso, executivo do grupo.

Narciso destaca que a manutenção da Blusoft no local, que tem 10,1 mil metros quadrados totais e área construída de 5,3 mil metros quadrados, estreita a parceria com a entidade, que será o primeiro âncora do Bianchini Business Park.

Quando do anúncio do futuro parque blumenauense, o diretor de Negócios do empreendimento, Marco Aurélio Neuwiem, já havia destacado que a ideia era ter uma incubadora de caráter público, outra privada, em parceria com uma universidade, no polo.

Para a primeira opção, Neuwiem dizia “haver conversações em andamento com duas incubadoras de Blumenau”, sem revelar nomes.

Morta a charada, a Blusoft desponta como o parceiro para a opçao pública.

“O intuito foi garantir a estabilidade das empresas instaladas no prédio, enquanto o parque esteja em desenvolvimento, e depois permitir que usufruam da infraestrutura, que está alinhada à proposta de inovação do Blusoft”, afirma Jeziel Montanha, presidente da Rede Catarinense de Entidades de Empreendimentos Tecnológicos (Recepet) e ex-presidente do Blusoft, que mediou a negociação com o Bianchini.

O Bianchini Business Park terá 172 mil metros quadrados de área construída e abrigará, além de incubadoras e polo de tecnologia, também um parque industrial e logístico, mais uma alameda de serviços.

Com projeção de início das operações dentro de 36 meses a partir do começo das obras, o parque tem boa parte dos investimentos vindos do próprio Grupo Bianchini, mas a companhia está em busca de financiamento do BNDES e aberta a debater parcerias e até mesmo sociedades para fomentar o negócio, segundo Neuwiem.

O projeto integra os planos da Inova@SC, entidade criada pelo governo de Santa Catarina para desenvolver e gerenciar a Política de Inovação e Tecnologia do estado.

O programa prevê a geração de 12 novos polos e núcleos de inovação, parques tecnológicos e incubadoras em cidades como Blumenau, Florianópolis, Joinville, Chapecó e outras.

Além do Bianchini Business Park, a iniciativa tem como parceiros a Acate, Udesc, Recepet e Conselho Nacional de Secretários Estaduais para Assuntos de CT&I.

Para construção do Bianchini Business Park, as obras ficarão a cargo da MC Construções.

“Quando iniciar a operação, esperamos de três a quatro mil colaboradores de empresas percorrendo o espaço diariamente. Para atender a este público, criaremos também uma alameda de serviços, com clínicas de saúde, academia e outros”, finaliza Neuwiem.