AMBIENTES

Fortlev: proteção para TI e TO com Fortinet

18/01/2022 07:26

Produção e tecnologia são cada vez mais uma coisa só no mundo da manufatura. 

Fortlev tem oito fábricas operando 24x7 pelo Brasil. Foto: Divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Fortlev, uma das principais fabricantes de caixas d’água e  de tubos e conexões em PVC do Brasil, apostou em tecnologias da Fortinet para proteger de maneira integrada seus ambientes de tecnologia e de produção.

O projeto, entregue pela parceira Brasiline, é uma evolução do ambiente de segurança da Fortlev, que já usava firewalls da Fortinet para proteger a sua rede.

A nova abordagem é mais sofisticada, envolvendo uma visão integrada do ambiente de Tecnologia da Informação e Tecnologia Operacional, ou TI e TO, para usar o jargão de tecnologia.

Esse tipo de projeto está em alta, na medida em que a produção é cada vez mais digitalizada, aumentando a interdependência entre o chão de fábrica e os sistemas tecnológicos.

“Queríamos estender os recursos de segurança que tínhamos em nosso ambiente de TI para a plataforma de automação industrial, de forma a ter mais controle e manter o ambiente de OT livre de ameaças”, conta Felipe Pinto Gomes, coordenador de Infraestrutura e Segurança da Fortlev. 

A implementação envolveu oito fábricas espalhadas pelo Brasil, com operações 24x7 e 1,7 mil funcionários.

Com a plataforma Fortinet Security Fabric, a Fortlev tem duas redes que operam separadamente dentro dos firewalls, uma para a área de TI e outra que integra o ambiente de TO, diretamente relacionado às suas operações.

As informações vindas de fora são processadas de acordo com as regras estabelecidas na plataforma de segurança para evitar qualquer violação.

A empresa também instalou novos firewalls da Fortinet, com os quais é possível rodar o FortiGate Secure SD-WAN nas fábricas da Fortlev, antes conectadas via Multi-Protocol Label Switching (MPLS) e links de rede privada virtual (VPN). 

Agora, se um dos links da internet falha, o sistema muda automaticamente para outro dos três links disponíveis. Assim, a empresa atingiu sua meta de manter mais de 99% de disponibilidade de rede para os servidores, redes de Wi-Fi e mais de 750 computadores conectados nas oito fábricas.

A Fortlev também adicionou uma solução complementar ao Fortinet Security Fabric. Com o FortiAnalyzer, a empresa monitora a rede e tem visibilidade dos riscos e ameaças que podem afetar o desempenho da rede de TI/TO. 

A Brasiline é sediada em Vitória, no Espírito Santo, estado onde foi fundada a Fortlev. A integradora tem presença nacional, com escritórios em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Natal.

O portfólio de tecnologias inclui Fortinet, Kaspersky, F-Secure, Dell, IBM e outras grandes marcas.

MERCADO EM ALTA NO BRASIL

Com a grande onda de ataques cibernéticos, alguns visando organizações de grande porte no Brasil, o tema segurança está em alta no país.

Isso vale para grandes players como a Fortinet, mas também para empresas de nicho, especialmente no campo de soluções focadas em tecnologia operacional.

Só no ano passado, duas startups do segmento abriram operações no país. 

A Claroty, uma empresa israelense fundada em 2015, contratou Fernando Zolko, ex-executivo de vendas da Cisco para contas enterprise, para assumir como diretor de parcerias da Claroty para América Latina. 

A Nozomi Networks, outra empresa do setor, contratou de Nycholas Szucko, ex-diretor de vendas de cibersegurança da Microsoft, para assumir o cargo de diretor de vendas regionais para o Sul da América Latina.

Veja também

REFORÇO
Bannwart assume Netskope no Brasil

Novo country manager vem da Check Point e fez carreira na área de segurança.

AGRO
Ourofino: nova rede com soluções Aruba

Com a Network Consult, a companhia apostou na Gibabit Ethernet com Wi-Fi 6.

CALIENTE
Hackers trocam site da Localiza por pornô

Grupo Lapsus$ anunciou ataque, que foi confirmado pela locadora de veículos.

PLAYER
Red Unit: segurança para pequenas

Nova empresa tem CEO conhecido e investimento de R$ 6 milhões da Futurum.

TELECOM
Claro tem novo head de segurança

Alex Amorim é presidente do Instituto Brasileiro de Segurança, Proteção e Privacidade de Dados.

VAREJO
Pague Menos: cibersegurança com Network Secure

Rede de farmácias chegou a um total de 11 mil licenças de proteção para Endpoints.