Tamanho da fonte: -A+A

A Unisinos está disponibilizando o seu novo Mestrado Profissional em Engenharia Elétrica, o quinto curso no portfólio de pós-graduações estrito senso da universidade.

Realizado em sintonia com o itt Fuse (Instituto Tecnológico em Ensaios e Segurança Funcional) e o itt Chip (Instituto Tecnológico de Semicondutores), o mestrado conta com suas linhas de atuação, uma voltada em Manufatura Eletrônica e Encapsulamento e a outra em Controle e Automação.

Para o coordenador do curso, Eduardo Luis Rhod, s duas tentam suprir as necessidades do mercado, que se encontra extremamente favorável.

“Prova disso é o grande déficit de profissionais com formação e mestrado nas áreas de engenharias, principalmente as relacionadas com as altas tecnologias”, reforça Rhod.

Segundo a universidade, os integrantes do mestrado serão aptos a  trabalhar na gerência de projetos de engenharia elétrica e eletrônica, ou com pesquisa e desenvolvimento de soluções inovativas para as empresas da área.

Ainda, na resolução de problemas de engenharia, em funções especializadas em processos de transformação e automação industrial e na indústria de SMT (Surface Mount Technology).

HT MICRON

Um fator positivo para os interessados em investir na qualificação em Engenharia Elétrica está logo ao lado. A HT Micron, empresa de fabricação de semicondutores, deve concluir as obras de sua planta fabril no Tecnosinos em junho.

A fábrica, com 9200 m², contará com a maior sala limpa da América Latina, com 7500 m², cerca de 600 funcionários e capacidade de até 30 milhões de chips por mês.

"Com estas unidades, ofereceremos vários tipos de chips de memória e diferentes formas de encapsulamento, atendendo melhor à demanda de nossos clientes", destaca Ronaldo Aloise Junior, vice-presidente da HT Micron.

Segundo Ronaldo, com os investimentos em ampliação da unidade inicial da empresa e a fábrica maior, a empresa deve investir em infraestrutura um total de R$ 200 milhões até 2016.