MEDIDAS

Stefanini: home office para perfis de risco

18/03/2020 09:54

Vão trabalhar em casa maiores de 60, gestantes, ou pessoas com sintomas.

Funcionários da Stefanini. Foto: Divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Stefanini, uma das maiores empresas de tecnologia do Brasil, adotou uma política de home office para para funcionários em alguma categoria de risco para o contágio do coronavírus, um grupo que inclui gestantes, pessoas com mais de 60 anos ou que tenham baixa imunidade.

Também deve trabalhar em casa qualquer um que tenha um sintoma aparente de gripe.

A medida é a versão brasileira de um plano de contingência global, com comitês em cada uma das cinco regiões nas quais estão os 41 países nos quais a empresa atua.  A Stefanini tem 25 mil funcionários, sendo 14 mil no Brasil.

“Como o cenário está mudando rapidamente, avaliaremos a situação dia a dia para tomar medidas que priorizem a saúde dos nossos funcionários e de seus familiares”, comenta Rodrigo Pádua, VP Global de Gente e Cultura da Stefanini. 

A situação realmente está mudando rápido. O Serpro, maior estatal de TI do país, começou na semana passada com um protocolo de home office similar ao da Stefanini, mas nesta terça-feira, 16, já decretou home office geral em Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo.

A partir da quinta, 19, as diretorias regionais do Serpro já poderão decidir se mandam seus funcionários para trabalhar em casa.

A Dell mandou trabalhar em casa todos os seus funcionários com permissão para home office, um grupo de que soma 65% dos empregados. A maior concentração da Dell é no Rio Grande do Sul, onde a empresa tem cerca de 1 mil funcionários.

Outras empresas de porte menor, como a Neogrid, com cerca de 700 funcionários, e a E-Core, com 320, decretaram uma semana de home office para todos até essa sexta-feira, 20, como uma espécie de “fase de testes”.

Já a Linx (3,5 mil funcionários), adotou uma espécie de home office rotativo, com turnos, sem abrir maiores informações sobre critérios ou abrangência.

Em sua divulgação sobre as medidas para enfrentar o coronavírus, a Stefanini enfatizou do chatbot da empresa, chamado de Sophie, para informar os  colaboradores sobre o COVID-19. 

Na última semana, a plataforma de inteligência cognitiva foi treinada pela equipe de Pesquisa e Desenvolvimento da Stefanini para responder via chat, pelo canal Stefanini Atende, às principais dúvidas sobre o tema no Brasil. 

Desde o segundo semestre do ano passado, a tecnologia está sendo utilizada no RH da Stefanini para substituir a tradicional abertura de chamados pela interação por meio de chatbot e, consequentemente, melhorar a experiência dos colaboradores. 

“Estamos priorizando 100% a comunicação, transmitindo tranquilidade e confiança para superarmos este novo desafio”, afirma Marco Stefanini, CEO Global do Grupo Stefanini. 

Veja também

COVID-19
Empresas de TI mostram que tem espetos de pau

Discurso de transformação digital está afundando frente aos desafios concretos impostos pela realidade do coronavírus.

CORONAVÍRUS
Serpro: todos para casa no DF, SP e RJ

A partir de quinta, outras regionais poderão optar pela mesma medida se acharem necessário.

CORONAVÍRUS
Dell: todo mundo em casa até segundo aviso

Gigante americana torna obrigatório home office no país, em meio a pandemia.

EVENTOS
VTEX Day é adiado para setembro

São Paulo já havia orientado o cancelamento de eventos com mais de 500 pessoas.

SAÚDE
Higienização do smartphone ajuda a prevenir Covid-19

Em contato com as mãos, aparelhos sempre podem transportar vírus e bactérias. Saiba como fazer a limpeza.

TIMING
Microsoft Teams cai por duas horas

Sistema de comunicação saiu do ar na Europa quando ele é mais necessário.

GOVERNO
Serpro: home office para perfis de risco

Funcionários acima de 65 anos, que tenham viajado ou tenham asma ficam em casa.

CORONAVÍRUS
Bancos prorrogam pagamento de dívidas

As cinco maiores instituições financeiras associadas à Febraban fazem parte da decisão.

ENCONTROS
IT Mídia cancela IT Forum X

Grupo de mídia também optou por adiar o IT Forum 2020 em meio ao coronavírus.

RESPOSTAS
Linx adota home office parcial

Funcionários farão turnos trabalhando de casa, visando reduzir concentração.

PORTO ALEGRE
UFRGS, PUCRS e Unisinos suspendem aulas por coronavírus

As principais universidades da capital gaúcha pretendem retomar as atividades em abril.

CORONAVÍRUS
Apple fecha todas as lojas

No Brasil, empresa possui dois pontos de venda, um no Rio de Janeiro e outro em São Paulo.

CORONAVÍRUS
Neogrid decreta home office

Todos os 700 funcionários da empresa vão trabalhar de casa na semana que vem.