Gerdau tem demitido por causa da crise. Foto: divulgação.

A Gerdau acaba de realizar mais um corte na sua área de TI, totalizando em torno de 70 demissões nos últimos dias.

As informações são de fontes de mercado. Procurada, a Gerdau confirmou a existência de demissões na área de TI, mas não o número exato.

Essa é a terceira grande onda de cortes na TI da Gerdau desde o final de 2014, quando saíram cerca de 40 profissionais. Em agosto de 2015, foram mais 30.

A informação obtida pelo Baguete é que a equipe interna de TI da Gerdau era de 200 pessoas antes dos cortes. 

A Gerdau confirmou os dois cortes anteriores para a reportagem do Baguete, mas não abriu números, nem de demitidos nem do total de profissionais.

Segundo o Baguete pode averiguar, os cortes se concentraram em perfis técnicos, principalmente analistas com muitos anos de casa e salários acima da média de mercado.

Na opinião de fontes ouvidas pelo Baguete, a nova onda de cortes sinaliza que a companhia não deve fazer grandes investimentos em TI no curto prazo.

O projeto Template de expansão do sistema de gestão da SAP, uma das maiores iniciativas já levadas a cabo na siderúrgica, foi concluído. A Stefanini tem o contrato de manutenção do sistema. 

A nova fase da TI da companhia é ressaltada pela decisão, em março, de unir as diretorias de Suprimentos e TI sob o comando de Cláudia Piunti, diretora de Suprimentos da Gerdau.

Segundo a reportagem pode averiguar, Cláudia tem a reputação de ser uma negociadora dura, o que pode ser uma característica valiosa num momento em que a prioridade na Gerdau parece ser cortar custos.

A Gerdau está em um momento complicado, em meio à queda na demanda de aço causada pela desaceleração econômica do país. A empresa teve prejuízo operacional de R$ 2,99 bilhões no último trimestre de 2015.