Montenegro quer médias e grandes na nota eletrônica. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A cidade gaúcha de Montenegro investiu R$ 240 mil em um sistema de nota fiscal de serviços eletrônica.

Inicialmente, foram gastos R$ 40 mil em complemento da infraestrutura. O restante foi aplicado na solução e na consultoria.

O sistema foi implementado no ano passado, após um decreto da prefeitura determinando que empresas com movimentação anual de R$ 760 mil terão que emitir a nota em formato eletrônico até o final de 2012.

Nos cálculos da prefeitura, cerca de 300 empresas na cidade devem emitir os documentos eletronicamente a partir de 2013, quando a NFS-e será obrigatória para médias e grandes.

SADIG, A COBAIA
A nota em Montenegro foi implementada pela porto-alegrense Thema.

Quem estreou o sistema foi a montenegrina de BI e CPM Sadig – que além da sede em Montenegro tem escritórios em São Paulo e Paraná.

Segundo Moacir Pogorelsky, presidente da Sadig, o sistema foi desenvolvido, testado e implantado na empresa em três meses. A economia esperada por Pogorelsky é de cerca de R$ 50 mil ao ano.

Mais do que a primeira a entrar no projeto, a Sadig solicitou a NFS-e à prefeitura.

“A Sadig se adiantou e foi a cobaia”, brinca Marcos Griebeler, vice-prefeito de Montenegro.

Além disso, o projeto deve aperfeiçoar os processos de arrecadação do município – hoje acima dos R$ 20 milhões ao ano. Por aperfeiçoar, Griebeler não espera apenas mais dinheiro, mas etapas mais simples, econômicas e fáceis de fiscalizar.

“Com isso (a NFS-e), vamos ter a origem e o destino, ficando quase impossível emitir a nota calçada”, diz Griebeler.

A própria Sadig tem clientes como a rede supermercadista Super Muffato, que atua em São Paulo e no Paraná, a fabricante paulista de ração para cães e gatos Royal Canin e a fabricante de alimentos Vigor, também de São Paulo.

Além da Sadig, outras nove empresas já têm a NF-e implementada no município.

MONTENEGRO
Montenegro tem 59,7 mil habitantes, e um PIB de R$ 1,45 milhão. O PIB per capita é de R$ 24,4 mil, enquanto no estado o indicador é de R$ 19,7 mil.

São mais de seis mil empreendimentos na cidade, sendo 18,8% atuando em serviços e 2,31% na área da indústria.

O forte do município é a agroindústria, que reúne 38% das empresas da cidade.

A implantação da NFS-e e Montenegro seguiu o modelo conceitual apresentado pela Associação Brasileira das Secretarias de Finanças das Capitais (Abasf) sofrendo ajustes para atender peculiaridades da administração tributária do município de Montenegro.

A emissão da NFS-e pode ser realizada mediante integração do sistema do contribuinte com o sistema municipal ou através de digitação em aplicativo disponibilizado no portal da prefeitura.