Barcellos segue com 25% do negócio. Foto: Divulgação.

A NEC comprou 75% da Arcon, companhia brasileira especializada em cibersegurança, por R$ 60 milhões.

Com o negócio, a Arcon passa a atuar como uma subsidiária da NEC no Brasil, mantendo seu presidente e fundador, Marcelo Barcellos, que segue dono de 25% da empresa e agora reporta para Daniel Mirabile, presidente da NEC no Brasil.

A Arcon atuava principalmente com serviços gerenciados de segurança, trabalhando com uma lista grande de parceiros: Tenable, Modulo, Forcepoint, HP, Lumension, Sophos, Denyall, Algosec, CA, Fortinet, CheckPoint, Accellion, Cisco e WatchGuard.

A lista não incluía a NEC, que abre assim uma porta importante no mercado brasileiro. A Arcon faturou R$ 64 milhões no ano passado, um crescimento na faixa de 70%, e tem 100 funcionários.

“Pretendemos criar proativamente sinergias entre as empresas, com objetivo de agregar valor ao fornecimento de soluções completas de segurança para os existentes e os futuros clientes”, afirma Mirabile.

No mercado nacional desde 1995, a Arcon possui centros de operações de segurança redundantes localizados no Rio de Janeiro e São Paulo (a companhia tem ainda filiais em Brasília e Belém), processando 2 bilhões de eventos por dia e protegendo mais de 600 mil ativos nos 5 continentes.

A NEC no Brasil conta com cerca de 800 funcionários e teve um faturamento líquido de R$ 460 milhões no ano fiscal 2015, encerrado em março desde ano. A meta é chegar a R$ 1 bilhão até 2020.

É um avanço significativo, mas ainda pouco frente ao tamanho global da gigante japonsea, que faturou US$ 23 bilhões no último ano fiscal.