A companhia está em alta desde o início da pandemia. Foto: divulgação.

A Zoom Video Communications, especializada em bate-papo por vídeo, anunciou a chegada do Zoom Phone, seu serviço de telefone em nuvem, a 25 novos países e territórios de todo o mundo, incluindo o Brasil.

Na América Latina, o serviço também passa a ser oferecido na Argentina, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, México, Panamá e Peru. 

No total, agora a empresa oferece serviço de telefonia local e chamadas domésticas em 40 países. Já por meio da operação chamada de traga sua própria operadora, ou bring-your-own-carrier, em inglês, ele está disponível globalmente.

Segundo a empresa, o Zoom Phone é um sistema de telefonia em nuvem oferecido como um complemento da plataforma Zoom, com suporte para chamadas inbound e outbound por meio da rede telefônica pública comutada (PSTN). 

Seus recursos de telefonia integrados permitem que os clientes substituam sua solução de PBX existente e consolidem todos os requisitos de comunicação e colaboração de negócios na plataforma de vídeo. 

Para vender o novo serviço, a Zoom aposta em um plano para as empresas poderem comprar chamadas domésticas por um preço único, que não teve o valor especificado. 

Já para empresas que não exigem números diretos individuais para cada funcionário, outro plano está disponível a partir de US$ 8 por usuário, por mês.

Fundada em 2011, a Zoom está em alta desde o início da pandemia. No primeiro trimestre de 2020, alcançou US$ 328,2 milhões em receita, um aumento de 169% em relação ao mesmo período do ano anterior.

O lucro líquido da empresa passou de US$ 0,2 milhão no trimestre anterior para US$ 27 milhões no período.

Já o caixa líquido gerado pelas atividades operacionais foi de US$ 259,0 milhões no trimestre, comparado a US$ 22,2 milhões no mesmo período do ano passado.

O fluxo de caixa livre foi de US$ 251,7 milhões, em comparação com US$ 15,3 milhões no primeiro trimestre de 2019.