Quito, capital do Equador. Foto: .flickr.com/photos/ceciliaheinen

A ThoughtWorks, multinacional de desenvolvimento de software baseada no modelo ágil e open source, acaba de abrir uma operação em Quito, no Equador, empregando 15 profissionais.

É o primeiro passo da multinacional em ampliar as operações latino americanas fora do Brasil, onde a empresa abriu um centro em Porto Alegre em 2009, seguido de um segundo em Recife em 2012 e um terceiro em São Paulo em 2013. São 200 profissionais no país.

O centro equatoriano é comandado por Leslie Jarrin, uma experiente profissional de TI local, fundador do MachangaraSoft, parque tecnológico de Quito, fundadora de empresas de TI e ex-executiva da Oracle.

“O Equador representa uma oportunidade para a ThoughtWorks colaborar com organizações, ajudando a melhorar a humanidade por meio de software e a promover mudanças positivas”, afirma a companhia em nota.

Declarações de missão bem intencionadas à parte, o Equador tem se transformado em um destino atrativo para investimentos de TI.

Segundo informa uma matéria do site especializado NearShore Americas, todos os anos se formam em torno de 1,2 mil profissionais de TI nas universidades de Quito, um número significativo em uma cidade com 2,2 milhões de habitantes.

Das estimadas 500 empresas de TI presentes no país, a maioria pequenas e médias, 400 ficam na capital. Do total, 130 empresas de Quito são provedores de serviço orientados para exportações.

A cidade também já atraiu multinacionais como a TCS, além de operações de outsourcing de desenvolvimento de bancos como banco mexicano Azteca e o HSBC.

Os salários para um profissional iniciante ficam entre US$ 800 e US$ 3 mil.