Zeinal Bava. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Oi lançará em dezembro o 4G em Porto Alegre, cumprindo a determinação da Anatel para liberar o serviço nas capitais da Copa do Mundo. No entanto, para a operadora, quem também cumprirá um papel importante no evento será o Wi-Fi da empresa.

Quem afirma isso é o próprio presidente da companhia, Zeinal Bava, que esteve em Porto Alegre nesta sexta-feira, 18, para se reunir com executivos da sucursal Sul da operadora.

Foi a primeira visita do executivo - que assumiu a presidência em maio - ao estado, e também a primeira dele desde a fusão da Oi com a Portugal Telecom, operadora europeia na qual Bava era o CEO.

Segundo Bava, ainda não foi fixada a data de início da oferta do 4G no estado, mas a empresa está trabalhando para afinar o sinal.

"A rede já deve ficar pronta e funcional no final de novembro. Estimo que na primeira quinzena de dezembro estaremos prontos para lançar o serviço com a qualidade que desejamos", afirmou o presidente.

Quanto ao Wi-Fi, Bava frisou que Oi conta atualmente com mais de 14 mil hotspots no estado, gratuitos para os clientes da operadora. Embora não tenha revelado números, Bava afirmou que a ideia é investir para ampliar o número de pontos - na capital e interior.

Para 2013, o investimento total estimado pela operadora para o Rio Grande do Sul é de R$ 287 milhões. Como patrocinadora oficial da Copa do Mundo no Brasil, a empresa sabe que tem uma responsabilidade redobrada para entregar bons produtos.

Nos estádios da Copa, um acordo assinado pelas quatro operadoras - Oi, TIM, Claro e Vivo - já prevê a disponibilização do sinal Wi-Fi nos estádios. Além de fornecer maiores velocidades, é uma saída para desafogar o pico de acessos 3G e 4G.

Para Bava, a aposta no Wi-Fi representa uma camada significativa no serviço da operadora no país, que por enquanto é até mais atrativa que o 4G. No Brasil, a Oi tem 95% do mercado wireless, com mais de 100 mil access points.

"A penetração de aparelhos 4G no Brasil ainda é pequena, o serviço ainda é caro e temos problemas a resolver na questão de espectro para esta conexão", diz o presidente para justificar a importância do Wi-Fi na operação da Oi.

Para aumentar os access points na capital gaúcha, a operadora está em conversações com a prefeitura de Porto Alegre para fazer por aqui uma iniciativa já testada no Rio de Janeiro e Florianópolis, revitalizando orelhões no centro da cidade e transformando-os em roteadores wireless.

No Rio Grande do Sul a Oi é terceira no mercado, com 16,1% do market share, na frente da TIM (13,85%) e atrás da Claro (29,2%) e Vivo (41%).