Telefônica Vivo fez cortes.

Tamanho da fonte: -A+A

A Telefônica Vivo abriu nesta sexta-feira, 18, um novo Plano de Demissão Voluntária (PDV), visando demitir 900 funcionários, além de fechar 600 vagas que estavam em aberto em todo o país.

Hoje, a empresa tem 19 mil funcionários no país, o que resulta num corte de 7,8% da força de trabalho se consideramos pessoas demitidas e posições fechadas, ou 4,7% se a conta incluir apenas as demissões.

As informações são do Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações no Estado de São Paulo (Sintetel-SP).

Este é o terceiro PDV que a empresa faz desde a incorporação da Vivo com a Telefônica, em 2010. Na época da compra, a companhia de telefonia contava com 21 mil funcionários.

A Telefônica informou, em entrevista ao jornal Valor Econômico, que o plano faz parte de um processo de reorganização administrativa da empresa, que tem como objetivo otimizar processos e atividades de suas áreas e dar continuidade ao plano de integração empresarial iniciado em 2011.

De acordo com o Sintetel, os funcionários que aderirem o plano de demissão receberão um pacote de benefícios, que conta com plano de saúde por seis meses após o desligamento da empresa e indenização, com o intuito de minimizar as perdas dos funcionários.