As redes 5G irão alcançar 150 milhões de assinaturas móveis até 2021. Foto: nenetus/Shutterstock.

O Relatório de Mobilidade divulgado pela Ericsson prevê que as redes 5G irão alcançar 150 milhões de assinaturas móveis até 2021 globalmente. Os países pioneiros no uso da tecnologia serão Coreia do Sul, Japão, China e Estados Unidos.

Para Márcia Goraieb, vice-presidente de Marketing e Comunicação da Ericsson para América Latina, o 5G, além de ser um serviço móvel mais rápido, permite novos casos de uso relacionados à internet das coisas (IoT).

Para ela, a transformação das tecnologias de informação e comunicação se tornarão mais comum entre as indústrias, pois “o 5G permitirá que essa visão se torne realidade nos próximos anos”.

O relatório também revela um aumento significativo no consumo de vídeo em dispositivos móveis. O tráfego global de dados móveis deve crescer dez vezes entre 2015 e 2021, sendo que os vídeos serão responsáveis por 70% dessa demanda ao final do período.

Na América do Norte e na Europa, o consumo desse tipo de conteúdo em smartphones crescerá quase seis vezes até 2021. Já na América Latina, o tráfego mensal vai crescer de 1,2 GB para 6 GB no período.

Em outubro, a Ericsson anunciou que fará no Brasil em 2016 o seu primeiro teste de redes de telecomunicação móvel de quinta geração (5G). O teste será feito em conjunto com a América Móvil, que controla a marca Claro no país. 

O projeto envolverá tecnologias de aplicação da nova rede em parceria com operadoras e ecossistema, colocando instituições acadêmicas, agentes de saúde, energia e agricultura para testar as funcionalidades da conexão em uma rede ao vivo.