João Gabriel Oliveira Silva tem mais de 10 anos de carreira como desenvolvedor Java.

O desenvolvedor João Gabriel Oliveira Silva, funcionário da Loggi que se apresenta como “um matuto programador”, foi um dos 25 selecionados para a lista LinkedIn Top Voices do Brasil, que destaca profissionais que estão iniciando conversas relevantes na plataforma.

Natural de Uibaí, no interior da Bahia, Silva foi morar na Zona Leste de São Paulo ainda criança, com os pais e mais cinco irmãos. Com 14 anos, começou a trabalhar em um lava-rápido e, depois, ajudava o pai a vender espetinhos.

Após o falecimento do pai, tornou-se prensador de sucata em uma empresa e, com 23 anos, resolveu mudar o rumo profissional. Ele foi, então, incentivado por um conhecido que trabalhava na área de tecnologia e já conseguia ter uma vida mais tranquila.

Curioso na época, se matriculou na graduação de sistemas da informação na Fundação Santo André, localizada na cidade vizinha. Sem dinheiro para pagar as passagens de dois ônibus, andava parte do caminho a pé.

Para a instituição de ensino, pagou a matrícula e ficou praticamente o ano inteiro sem acertar as mensalidades. No final do ano, fez um acordo e acertou o valor da rematrícula.

No segundo ano de faculdade, quando ainda prensava sucatas, conseguiu um estágio na Stefanini. Três meses depois, foi efetivado, começou a colocar as contas em dia e as coisas começaram a andar.

De lá para cá, já são mais de 10 anos de carreira como desenvolvedor Java, período em que também passou pelas empresas Masterdom, BRQ Digital Solutions, Accenture, Altran, CERC Central de Recebíveis e, desde 2019, a Loggi.

No início, João Gabriel olhava para o LinkedIn mais como uma ferramenta para procurar vagas, o que sempre funcionou. A primeira postagem veio somente após ler uma publicação, que dizia que os profissionais de TI eram privilegiados, e se sentir incomodado.

Em seu post, fez um desabafo contando sua história acabou tendo uma audiência de mais de 1,2 milhão de visualizações.

A partir daí, o profissional começou a escrever postagens com uma frequência diária — primeiro para um público geral e, depois, focando nas pessoas da área de TI, que são as que mais interagem com ele.

“No LinkedIn a gente sabe, tudo é muito lindo, muito fácil. Eu tento trazer um pouco da realidade. Não quero que as pessoas tenham dó de mim, eu quero que elas olhem e vejam que é possível. Claro que é difícil, não dá para dizer que é fácil, mas quando você vai pelo caminho do bem as coisas acontecem”, afirma o desenvolvedor.

Mais de 20,5 mil seguidores depois, aparecer na lista publicada pela rede social foi uma surpresa.

“De uns tempos para cá, eu comecei a ser mais ativo no LinkedIn, a ter mais visibilidade, com muito alcance de pessoas comentando e curtindo, mas eu não esperava que numa rede social tão grande eu fosse estar no meio dessa representatividade toda”, confessa Silva.

João Gabriel, além de contar suas experiências de vida, divide conselhos sobre como superar obstáculos na carreira e como exigir uma remuneração justa pelo trabalho. Ele ainda compartilha sua paixão por temas ligados à inovação e recomenda cursos, por exemplo.

Além de João Gabriel, a lista dos Top Voices conta com outras 24 personalidades dos mais diversos setores, como recursos humanos, comunicação, e-sports, vendas, nutrição, tecnologia e educação. 

Para fazer a escolha, uma equipe de ciência de dados do LinkedIn mediu o engajamento que cada usuário foi capaz de promover junto à rede, considerando atividades que ocorreram entre setembro de 2019 e setembro de 2020.

Depois, os editores da rede social refinaram a seleção, levando em consideração a importância e atualidade dos temas que eles abordam, assim como as ferramentas usadas na rede para dar e obter ajuda sobre tópicos nos quais são especialistas — como artigos, postagens, vídeos, stories e comentários.

“Esta lista busca dar ainda mais luz para profissionais inspiradores e para as conversas que acontecem na plataforma, ajudando nossa comunidade a atravessar as constantes mudanças no mundo do trabalho em geral”, afirma Rafael Kato, editor-chefe do LinkedIn para América Latina e Espanha.

O LinkedIn está presente em mais de 200 países e conta com mais de 722 milhões de usuários, sendo 46 milhões deles brasileiros.