COSMÉTICOS

Hinode migra e-commerce para VTEX IO

18/11/2021 14:55

Projeto foi realizado com a Enext, consultoria paulistana especializada no segmento.

Emerson Cordeiro, gerente de canais e novos negócios da Hinode. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

O Grupo Hinode, uma das maiores companhias de cosméticos do país, migrou o seu e-commerce para a VTEX IO, plataforma de desenvolvimento low-code nativa da empresa, em projeto realizado com a Enext, consultoria paulistana especializada no segmento.

O processo começou em janeiro de 2021, quando a equipe interna da Hinode trabalhou para entender todo o histórico da loja virtual, qual era a sua situação e quais eram os gaps.

Na época, o site tinha mais de 300 mil usuários únicos no mês, mas a taxa de conversão era de apenas 0,3%, contra uma média do varejo de 1,5%.

“A gente estava muito ultrapassado em termos de layout, usabilidade, experiência do usuário mobile, velocidade de carregamento. Estávamos basicamente em 2019, quando todo o e-commerce do varejo já estava em 2021”, resume Emerson Cordeiro, gerente de canais e novos negócios da Hinode.

Em um primeiro momento, o time trabalhou em um pacote com mais de 50 melhorias focadas em experiência do usuário (UX, na sigla em inglês) e otimização da conversão (CRO), como recomendação de busca, eliminação de opt ins em excesso e reformulação de pagamento.

Como consequência, a conversão saltou para 0,8% em março. 

“Quando já havíamos chegado no limite de personalização, ou do que a gente esperava daquele e-commerce, entendemos que o melhor caminho para isso era migrar para o VTEX IO, uma tecnologia baseada em react que deixaria o site muito mais atual. Iria nos atender muito rápido no curto prazo e era muito flexível para os nossos projetos futuros”, conta Cordeiro.

Criada há dois anos, a loja virtual da Hinode havia sido criada com a plataforma VTEX Legacy e possuía, até então, uma gestão operacional 100% terceirizada. Neste período, o site não teve praticamente nenhuma alteração.

Depois de optar pela mudança, a companhia revisitou toda a parte de UX e de interface do usuário (UI) do site com a consultoria paulistana Improve Business. A assessoria mapeou como é a jornada de uso do e-commerce e desenhou as principais páginas do site para posterior desenvolvimento.

A Enext, que já era a agência de CRM contratada pela empresa, realizou então toda a programação da nova loja virtual. O go live do novo e-commerce aconteceu no dia 15 de julho.

“A consequência disso é que a gente tem um site tecnicamente muito melhor do que o anterior. Ele é muito mais amigável para SEO, porque ele é mais rápido. A usabilidade mobile é muito mais rápida também, muito mais intuitiva. Ele permite a personalização dos fluxos de compra, de elementos e etc. O site é todo modulado”, explica o gerente.

Segundo a empresa, hoje o e-commerce da Hinode já é top 10 no segmento de cosméticos, atua com cerca de 400 SKUs e todas as suas vendas geram comissão para algum consultor da rede. 

Cada um desses profissionais tem um link personalizado para a sua própria loja, para compartilhar da maneira que preferir, e as vendas finalizadas através desse link geram comissão de 30%.

No caso das vendas orgânicas, geradas via acesso direto de usuários ao site, a companhia consulta o endereço de entrega do cliente, verifica qual que é o consultor mais próximo e paga 10% de comissão para ele.

A empresa também está trabalhando no projeto de compra via catálogo virtual, a versão digital da tradicional revista física, onde o cliente poderá navegar, adicionar os produtos no carrinho e concluir a compra. A funcionalidade deve ser lançada ainda no último trimestre deste ano. 

Também com expectativa para entrar no ar em 2021, a Hinode está desenvolvendo um projeto de personalização baseada em inteligência artificial, com o objetivo de que todos os produtos sejam apresentados de acordo com o comportamento do visitante.

Outro projeto da companhia é expandir o e-commerce para os outros sete países em que o grupo atua na América Latina: Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, México, Peru e Paraguai.

Hoje, a empresa tem operação de e-commerce somente no Brasil e a ideia é chegar ao México já no primeiro trimestre de 2022.

“A escolha dessa tecnologia também foi pensando nisso, porque o VTEX IO é muito mais fácil de ser traduzido e adaptado para as outras regiões que a gente vai atuar. Essa biblioteca de scripts do Facebook vai dar suporte para melhorias que a gente quer fizer no futuro, tanto no Brasil quanto no exterior”, explica Cordeiro.

Fundado em 1988, o Grupo Hinode tem sede em Barueri, São Paulo, e uma fábrica de 12 mil metros quadrados em Jandira, no mesmo estado. 

Com mais de 600 produtos em seu portfólio, a empresa é detentora das marcas Hinode, com itens de higiene pessoal, cosméticos, perfumaria e maquiagem, e HND, focada em produtos funcionais ligados à performance e bem-estar.

Veja também

FINTECH
Omie compra Linker por R$ 120 milhões

Esta é a quarta e maior aquisição da empresa de software de gestão na nuvem.

BICHOS
Dzodan tem um unicórnio?

Facily capta US$ 250 milhões, mas não abre qual foi avaliação dos fundos.

EXPANSÃO
Web.Art Group abre filial no RS

Grupo paulista especializado em e-commerce se instalou na cidade de Canoas.

BICHOS
Mocka aposta em pets com Flockr

Aplicativo reúne funcionalidades focadas em saúde animal e uma rede social. É um mercado enorme.

CENÁRIO
Segurança X UX

Resolver esse atrito é o grande desafio para o Brasil em 2022.

PESQUISA
Compasso compra Edgy Labs

A empresa americana especializada em SEO tem algoritmos proprietários.