NOMES

Tenchi traz ex-Google e Apple

18/11/2021 09:26

Capitalizada, startup de segurança vem reforçando o time.

Eduardo Pinheiro. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Tenchi, uma startup de segurança focada em computação em nuvem, acaba de contratar Eduardo Pinheiro, ex-Google e Apple, para assumir a área de engenharia da companhia.

Pinheiro seguirá baseado na Califórnia, de onde vai liderar o time de desenvolvedores da Tenchi.

O profissional se mudou para os Estados Unidos no começo dos anos 2000, para fazer doutorado na Rutgers University.

Em 2005, foi contratado como engenheiro de software no Google, onde participou de projetos como o Gmail, uma iniciativa para coibir a prática de phishing na Internet e do desenvolvimento de um sistema de controle para monitorar o funcionamento das máquinas dos data centers.

Pinheiro saiu do Google em 2018, foi CTO da District, uma fintech focada em hipotecas, e nos últimos meses engenheiro de software na Apple.

“Estou muito animado por iniciar esta nova jornada com a Tenchi, pois poderei unir minhas duas paixões, a tecnologia e o empreendedorismo”, diz Pinheiro, que deve aumentar a equipe da Tenchi em cinco vezes nos próximos 12 meses.

A Tenchi, fundada em 2019, vem fazendo contratações de peso depois de receber em outubro um aporte de R$ 18 milhões, liderado pela Maya Capital.

Já em outubro, entrou como sócio na empresa Dani Dilkin, para liderar a área de prestação de serviços da companhia.

Dilkin foi responsável pelo planejamento de negócios e condução dos serviços de cibersegurança da Kroll e da Deloitte no Brasil. Antes, teve passagens por NET, Terra, Cipher e Getronics.

Depois do aporte, foi feita também uma troca no comando. O fundador, Alexandre Sieira, passou a ser CTO, deixando o cargo de CEO para Felipe Boucas.

Boucas é baseado em Miami e entrou na Tenchi em fevereiro. Os dois profissionais trabalharam juntos na Cipher, onde Sieira foi CTO e Boucas  um dos fundadores.

A Cipher é uma das maiores empresas do setor de segurança no Brasil e foi comprada em 2018 pela multinacional Prosegur.

A Tenchi desenvolveu uma solução de monitoramento chamada Zanshin, que consegue em questão de minutos dar um status da segurança do ambiente em nuvem de uma companhia e seu ecossistema, incluindo fornecedores, parceiros de negócios, ou canais de vendas.

O Zanchin já tem clientes de peso como Cielo, XP Investimentos, BTG Pactual, B3 e Telefónica.

A Tenchi está em um nicho promissor. De acordo com o Gartner, os investimentos em computação de nuvem no mundo crescerão 21% em 2021, o que traz problemas de segurança da informação.

O relatório Verizon Data Breach Investigations Report de 2021 mostrou que 73% dos incidentes analisados envolviam pelo menos um ativo de nuvem, frente a 27% no ano passado.

As empresas são ainda responsabilizadas pela segurança dos dados que dividem com terceiros, por regulamentações como a LGPD, normativa 4.893 do Banco Central do Brasil, padrões de open banking ou o PCI DSS.

Veja também

VAZAMENTO
Dados da MoIP à venda

Empresa pertence à PagSeguro desde o ano passado. Em nota, PagSeguro tenta conter o dano de imagem.

ATAQUE
Atento admite vazamento de dados

Empresa reconheceu que informações "comerciais e financeiras" estão na Internet.

NOMES
Lojas Renner tem novo gerente de segurança

Contratação não tem a ver com o ataque, diz a varejista. 

LGPD
Banco Safra é multado em R$ 2,4 milhões

Instituição foi a quinta penalizada pela Secretaria Nacional do Consumidor pelo mesmo motivo.

LGPD
Intervalor investe em segurança de dados

Empresa de cobrança combina tecnologia, treinamentos e um seguro de peso.

FUTURO
Pensando em segurança para a era 5G

Nova geração da telefonia vai ser um divisor de águas, também para os criminosos digitais.