WIFI

Porto Alegre Livre prepara salto

18/12/2015 15:23

Mário Teza. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

O Porto Alegre Livre, rede de wifi gratuita da prefeitura da capital gaúcha, deve começar a dar um salto na quantidade de pontos de acesso disponíveis a partir de março do ano que vem, quando devem começar a entrar parceiros privados “no atacado” dentro do sistema.

Lançada no final de setembro, a rede de wifi é uma espécie de parceria público privada, na qual a prefeitura cobre alguns locais públicos de grande circulação e empresas privadas podem abrir suas redes privadas sob um nome comum.

Até agora, boa parte da cobertura é oferecida pelo governo, que banca 15 pontos de wifi gratuito nos quais é oferecida conectividade da rede de fibra óptica da municipal, a Infovia (outros 55 devem ser agregados nos próximos meses). Três empresas privadas abriram o sinal das suas redes desde o lançamento.

No momento, a Procempa, organizadora da iniciativa, está trabalhando junto a sindicatos e associações de classe que atuarão como disseminadores do projeto junto aos seus filiados. Um exemplo desse tipo de público são os postos de gasolina, metade dos quais já abrem wifi para os clientes.

“Nossa ideia é que o Porto Alegre Livre seja uma espécie de franquia, na qual a cidade se encarregue de fazer o marketing do serviço”, comenta o presidente da Procempa, Mário Teza.

Teza cita como uma inspiração o Liquida Porto Alegre, um período de descontos no comércio da capital que começou a ser promovido a partir da Secretaria de Indústria e Comércio e hoje é uma parte do calendário de compras da cidade.

Além de aumentar o conhecimento do público sobre a disponibilidade do serviço, ao recorrer sempre ao mesmo nome para oferecer a conexão (para aderir, é só se inscrever no site e mudar o SSID da rede) a adesão ao Porto Alegre Livre trará outros benefícios em breve, aponta Teza.

Isso porque, com a entrada em vigor do Marco Civil da Internet, estabelecimentos que oferecem sinal de wifi gratuito precisarão manter logs de acesso dos usuários das redes.

“É um procedimento relativamente simples, mas que pode significar uma complicação a mais para quem não está focado nisso”, comenta Teza, apontando que quando essa medida entrar em vigência os usuários poderão um log único para todas as redes, conectando automaticamente sempre que uma estiver disponível.

O presidente da Procempa não abre metas, mas as expectativas na estatal municipal de processamento de dados para o serviço são altas. Um benchmark para o possível número de usuários é o Moovit, app de rotas de ônibus israelense que tem em Porto Alegre uma das maiores bases de usuários no país.

Veja também

INOVAÇÃO
POA e IBM criam portal para startups

Baseado na tecnologia Bluemix, da Big Blue, site colaborativo reúne informações sobre startups locais.

CONECTIVIDADE
Cisco: por trás das redes do Rio 2016

Multinacional importará cerca de 60 toneladas em equipamentos de rede e servidores.

FACEBOOK
Intelbras: check-in libera wi-fi

O HotSpot 300 permite que os clientes utilizem o wi-fi a partir do check-in no Facebook. 

WI-FI
N-Share quer crescer no varejo

Hoje, a unidade de negócios representa entre 20% e 25% do faturamento da empresa.

BANCOS
Fonseca de saída do De Lage Landen

Executivo fica na companhia até dezembro, após passar quase 12 anos como responsável pela TI.

UNIVERSIDADE
PUC Minas: wi-fi com Ruckus

A universidade instalou 100 pontos de acesso Ruckus ZoneFlex em quatro unidades.

EVENTOS
Parque Anhembi: wi-fi com Go2neXt

Ao todo, 52 antenas wi-fi foram configuradas em pontos estratégicos do local.