A Sala São Paulo instalou três totens de autoatendimento da startup INTI. Foto: Divulgação.

A Sala São Paulo, mantida pela Fundação Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp), instalou três totens de autoatendimento da startup INTI para oferecer um novo modelo de serviços de bilheteria.

O sistema auxilia na gestão de vendas de ingressos, season tickets, doações e inscrições para eventos da instituição. 

Carlos Harasawa, diretor de marketing da Osesp, relata que houve uma redução de custos de 50% para a administração da entidade a partir da instalação dos equipamentos.

Dois totens estão instalados no Boulevard, localizado no piso térreo, e um no 1º subsolo, ao lado do guichê do estacionamento.

Antes dos totens, a bilheteria física funcionava apenas de segunda a sexta-feira, em horário comercial, e nos dias em que aconteciam os espetáculos. 

Porém, a procura pela compra de ingressos no local durante o dia não era tão frequente, o que deixava a equipe ociosa. 

“Dentre todos os canais de vendas, a bilheteria física é o mais caro. A instalação dos totens permitiu a eliminação dos períodos ociosos da bilheteria, que agora funciona nos horários mais próximos dos concertos, sem perder a qualidade do atendimento”, afirma. 

Em novembro, a bilheteria passou a ficar aberta somente duas horas e meia antes do início dos eventos até 30 minutos depois do início das apresentações. Nos demais horários, os totens ficam disponíveis a quem quiser fazer a aquisição de ingressos, por meio de cartão de débito ou crédito. 

“Foram seis meses de estudos e concepção do projeto, o primeiro deste tipo elaborado pela INTI, que antes trabalhava com soluções apenas em plataformas online. E agora já existem outras bilheterias em negociação para adotar esta solução”, ressalta Nicolle Stad, CEO e fundadora da INTI.

A INTI é uma plataforma de gestão e business inteligence (BI) de vendas e compras de ingressos, season tickets, doações e inscrições para eventos. 

Criada em 2015 por Nicolle Stad, ela foi lançada em novembro do mesmo ano no Masp. 

A empresa oferece serviços de BI e CRM para empresas, museus e instituições culturais e filantrópicas.

A INTI acumulará, em 2018, R$ 40 milhões de valor processado. Desse montante, 50% deve ser conquistado com a venda de ingressos, 30% com season tickets e 20% com doações. 

Para dar início ao negócio, a startup recebeu o aporte de R$ 150 mil da aceleradora Ace. A empresa está instalada no InovaBra, centro de inovação do Banco Bradesco, em São Paulo.

A INTI atende a organizações como Museu de Arte de São Paulo (Masp), OSESP, Museu da Imagem e do Som (MIS), Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM), The School of Life, ESL (e-sports), entre outros.