STARTUPS

Quem quer ir para Porto Rico?

19/01/2016 11:52

Ilha caribenha oferece US$ 40 mil em capital semente a fundo perdido.

Rua no centro histórico de San Juan, capital do Porto Rico. Foto: flickr.com/photos/hbarrison/

Tamanho da fonte: -A+A

O governo de Porto Rico, uma ilha no Caribe que é um território americano, inaugurou um programa de atração de startups para tentar reativar a economia do país.

Lançado há um mês, o Parallel18 quer escolher até 40 novos empreendimentos tecnológicos para receberem US$ 40 mil em capital semente a fundo perdido, somados a um programa de treinamento intensivo de 20 semanas.

Da verba semente, até US$ 5 mil podem ser alocados em alojamento e outros US$ 5 mil para gastos de alimentação e transporte. Os custos de viagem também podem ser debitados. Cada startup pode trazer até três integrantes.

Depois de concluído o programa, quem decidir manter o negócio na ilha receberá até US$ 75 mil como contrapartida para recursos captados junto a outros fundos.

Até agora, já se candidataram 250 empresas do Reino Unido, Espanha, Chile, Argentina, Estados Unidos e Porto Rico, o que é um número relativamente pequeno frente às vagas abertas.

Os organizadores destacam que San Juan, a capital do país, está apenas meia hora de voo de Miami e que o país usa o código tributário americano, além de ter uma relação especial com os Estados Unidos, no qual os porto riquenhos tem os mesmos direitos dos nativos.

Quem está pensando em levar a sua startup para um paraíso caribenho, longe da crise, precisa dar uma olhada nas últimas notícias de Porto Rico, que atravessa uma crise em precendentes. 

Em julho do ano passado, o governo da ilha disse que suas dívidas públicas de US$ 72 bilhões eram “impagáveis”. O default nos primeiros títulos da dívida começou em janeiro.

A crise da dívida pública acontece ao mesmo tempo em que expiram os incentivos dos Estados Unidos para a indústria farmacêutica, o que a deixa Porto Rico menos competitivo em relação a outros hubs como Cingapura e Irlanda.

Ao longo da última década, a migração para os Estados Unidos fez a população cair de 3,9 milhões para 3,5 milhões.

Os organizadores do Parallel18 garantem que o dinheiro para o programa está garantido em um fideicomisso, a salvo de eventuais cortes que o governo local precise fazer para pagar as contas. Analistas apontam que a saída mais previsível para a crise é uma intervenção do governo americano, visando evitar uma emigração em massa.

Os escritórios oferecidos às startups participantes do programa ficam a algumas quadras da praia. Talvez seja uma boa arriscar.

Veja também

SILICON VALLEY
Start-Up Brasil tem Demo Day nos EUA

Dez startups participaram na última semana do Demo Day do Start-Up Brasil na Califórina.

APPS DE TAXI
Easy Taxi e Tappsi anunciam fusão

Base de usuários compartilhada superará marca de 25 milhões de downloads e número de taxistas será de meio milhão.

STARTUPS
Seed volta a operar em Minas Gerais

O programa passou por uma reestruturação após uma mudança de gestão ocorrida em maio.

INVESTIMENTO
Oba recebe aporte de R$ 2,6 milhões

A plataforma é focada na venda de produtos usados - desde roupas até imóveis e veículos.

RESULTADOS
TI de SC cresce o dobro do Brasil

TI no estado cresceu 15% em 2015, enquanto média do país é de 7,3% segundo o IDC.

RANKING
Open Startups lista 100 mais atraentes

O top 5 da lista tem Virtual Care, Nama, Omnize, Wearable Sun Block e JáTá Chegando.

OPORTUNIDADE
Publicis investirá em 90 startups

A empresa irá aplicar € 10 milhões no programa, investindo de € 10 mil a € 500 mil em cada startup.