Novos Unitec vem aí. Foto: divulgação.

O Tecnosinos, em São Leopoldo, na região metropolitana de Porto Alegre, anunciou um plano ambicioso de expansão, encabeçado pela construção de um complexo de seis torres ao longo dos próximos 15 anos.

A Innova Towers será a primeira e abrigará empresas na áreas de pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I) do parque.

A construção será financiada por investidores privados, que esperam usar os espaços como áreas de aluguel para as startups incubadas, ou para venda.

Conforme Suzana Kakuta, diretora do Tecnosinos, o crescimento do parque está ligado a este novo método de trabalho, principalmente no aspecto físico. Segundo a diretora, há uma grande demanda por áreas plug and work, com escritórios compartilhados, para a instalação de novas empresas.

"A infraestrutura é bastante específica, com áreas de uso comum, de conveniências, sistemas e instalações orientadas a permitir que o empreendedor se dedique a focar no seu negocio. Tudo isso requer muita infraestrutura correlacionada como, por exemplo, salas de uso comum, redes de energia elétrica e internet redundante", destaca Kakuta.

CRESCE A INCUBADORA

Embora o projeto da Innova Towers ainda esteja no papel, o Unitec 2 já está licitado para construção e que receberá 37 startups. A área de construção já foi definida e deve ser iniciada ainda no primeiro semestre de 2014, com uma previsão de entrega em doze meses.

O investimento no Unitec 2 é de aproximadamente R$ 2,5 milhões, com R$ 1,8 milhões financiados pela Secretaria da Ciência, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico (SCIT), por meio do Programa Gaúcho de Parques Científicos e Tecnológicos (PGTEC), e o restante subsidiado pela universidade.

De acordo com Kakuta, cerca de dez empresas já estão na fila para o segundo Unitec, em uma espécie de pré-incubação. Conforme a diretora, o processo de seleção das startups deve iniciar em breve.

Já o Unitec 3 deve entrar em licitação no primeiro semestre de 2014, com início das obras previsto para a segunda metade do ano. Vinte empresas devem integrar este espaço. O local terá investimentos da SCIT (R$ 2,5 milhões), Finep (R$ 2 milhões) e Unisinos (R$ 600 mil).

O segundo prédio atenderá principalmente o segmento de TICs, um dos pontos pelo qual o parque já fez seu nome. No entanto, conforme aponta Kakuta para o Unitec 3, novas áreas de negócio estão na mira.

"Para o terceiro prédio, estamos visando mercado como o de nutracêutica (ramo que combina os termos nutrição e farmacêutica) e de eletro-eletrônica, mais especificamente o de semicondutores", explica a diretora.

A visão do parque faz sentido, levando em consideração que a universidade estabeleceu uma parceria com a HT Micron, encapsuladora de semicondutores que está abrindo uma unidade ao lado da Unisinos.

A empresa, que atende ao mercado nacional, recebendo wafers de fornecedores SK Hynix, Micron, Toshiba, pretende aumentar sua produção nacional com a nova unidade, podendo chegar a uma capacidade máxima de 360 milhões de chips/ano.