Um relatório da Avast mostra que 28% dos computadores em uso têm mais de oito anos. Foto: Pexels.

O Relatório de Tendências para PCs da Avast, focada em produtos de segurança digital, mostra que 28% dos computadores em uso atualmente têm mais de oito anos.

A pesquisa conta com dados anônimos de mais de 155 milhões de usuários dos produtos da Avast no mundo.

Os resultados mostram ainda que que 27,82% dos equipamentos em utilização foram fabricados em 2009 ou antes; 12,03% em 2010; 10,67% em 2011; 14,09% em 2012; 10,51% em 2013; e 14,48% em 2014. 

Apenas 10% dos PCs e laptops atuais foram adquiridos em 2015 ou após este ano. 

Com isso, a idade média dos PCs avaliados fica em mais de 5 anos.

Os dados são uma boa notícia para as fabricantes de PCs, que vem apostando em uma recuperação do mercado a partir da reposição de máquinas antigas ainda em uso.

Essa tendência parece já ter favorecido o segmento no Brasil. No terceiro trimestre de 2017, o mercado brasileiro de PCs registrou crescimento de 30% nas vendas, de acordo com a IDC Brasil.

O segmento também teve alta de 5% no primeiro trimestre de 2017 e 5% no segundo período do mesmo ano.

No acumulado para o ano, a consultoria prevê crescimento de 13% na comparação com 2016, mas os números finais não foram divulgados.

Os números de 2017 já apresentaram uma melhora significativa para o mercado de PCs. Depois de um 2015 fraco em vendas, com 6,6 milhões de equipamentos comercializados, o setor voltou a cair e fechou 2016 com 4,5 milhões de máquinas vendidas, o que representou uma queda de 31,7% em relação ao ano anterior.