TRABALHO

Employee Experience - UX aplicado para gestão de pessoas

19/03/2021 15:16

A ideia do EX é tornar a experiência do colaborador inesquecível tanto quanto a do consumidor.

Melina Alves. Foto: Jhonatan-Chicaroni.

Tamanho da fonte: -A+A

Investir em inovação tem se tornado uma premissa para as empresas que buscam crescer ou até mesmo acompanhar as mudanças do mercado. O objetivo por trás desse movimento é se aperfeiçoar para entregar a melhor experiência para o consumidor, seja por meio de um produto ou serviço.

Mas, o que não é tão claro é que por trás da inovação da entrega existe uma equipe que, a depender do clima organizacional, pode sofrer positiva ou negativamente, interferindo diretamente na produtividade e qualidade final. Sendo assim, apostar em estratégias de retenção de talentos e práticas que tenham por intuito melhorar o ambiente de trabalho tende a ser a chave de sucesso no século 21. 

O conceito de experiência do funcionário, ou employee experience, ou EX, como o mercado tem chamado, é uma estratégia de gestão de pessoas projetada para atrair mais colaboradores - de maneira geral, é sobre como essas pessoas se sentem no local de trabalho e como a empresa comunica seus valores e os aplica no dia a dia.

A proposta por trás disso é tornar a experiência do colaborador inesquecível tanto quanto a do consumidor, a ponto de influenciar suas ações em prol dos resultados do negócio. A tática, então, é investir em tecnologia e comunicação corporativa a fim de que os funcionários estejam cada vez mais integrados ao propósito do negócio, se sentindo parte da empresa e engrenagens essenciais ao negócio. 

Se no UX -user experience- o foco é o consumidor, no EX é o colaborador no centro das tomadas de decisões por parte das equipes de RH, que assumem a função de rastrear como os colaboradores pensam e se sentem durante cada ponto de contato de sua jornada pela empresa, das interações com a liderança às relações com a equipe de produção, e que ocorrem desde o momento do processo seletivo até o desligamento.

As ações que visam esse crescimento e bem-estar podem atuar em três frentes diferentes: ambiente físico, que remete a um espaço agradável e com infraestrutura acessível, segura e confortável; tecnológico, por meio de ferramentas modernas e simples, que otimizam a rotina do colaborador; e cultural.  

As práticas, embora favoreçam o clima organizacional se aplicadas isoladamente, é na soma que ganha mais impulso, sobretudo porque se conectam e levam ao alinhamento da cultura da empresa.

Reflexo das propostas internas, é esta cultura que guia as decisões coletivas e traz aos colaboradores quais são as expectativas que se espera de cada um sem menosprezar suas características individuais e posicionamentos. Essa estrutura promove, assim, um ambiente saudável, que apoia os objetivos pessoais enquanto busca alcançar suas próprias ambições.

Uma empresa que promove a produtividade e a melhor interação entre colaboradores levam, impreterivelmente, a uma melhor performance de todos da equipe. 

Com o framework de UX para os funcionários, como cultura de ux para a experiência do colaborador, é possível desenvolver na equipe a capacidade de solução de problemas, desenvolvimento estratégico e eficiência da comunicação para as áreas, assim como inovação intra departamental alinhada com os objetivos da organização.

Tal qual pensamos produtos mais eficientes para as pessoas com as práticas de UX, com os colaboradores envolvidos na mesma orientação que os produtos e serviços, é até mesmo mais pertinente a criação de recompensas pelos resultados efetivos do produto, porque todos entendem melhor sua função atrelada ao serviço ou produto. O resultado é a melhora da coerência e estrutura de metas e desempenho para a organização. 

Como em cascata, o trabalho prestado terá maior qualidade e os consumidores sentirão, na ponta, uma experiência otimizada, já que todo cliente deseja ser atendido por um profissional preparado e confiável.

O employee experience é, portanto, a internalização de uma prática que busca melhorar performances e resultados e que impactam não apenas um ou outro membro da organização, mas todos que, juntos, fazem a empresa acontecer.

É, assim, uma ferramenta que proporciona uma contínua autoanálise para promover profissionais mais valorizados e engajados.

* Melina Alves é CEO e fundadora da DUXcoworkers e uma das idealizadoras do Impacta Open Startups.

Veja também

LÍNGUAS
TIM tem app para funcionário aprender inglês

10 mil colaboradores da operadora vão aprender inglês no app da Speexx.

EXPERIÊNCIA
Os piores erros de UX

O principal deles é assumir que temos a resposta para os problemas dos usuários sem ao menos conversar com eles.

OPORTUNIDADE
Y Combinator procura startups brasileiras

Aceleradora quer levar empresas da América do Sul para seu programa nos Estados Unidos.

FEEDBACK
Funcionário do Serpro vai armado falar com o chefe

Incidente aconteceu em 2013 em Porto Alegre e acabou em demissão por justa causa.

SOCIAL
SAP Brasil: 1h de voluntariado por funcionário

Empresa lança ação visando que cada um dos seus 1,1 mil funcionários seja voluntário.

ECOSSISTEMA
Randon inaugura Conexo

Gigante industrial tem prédio dentro do seu complexo para se aproximar de startups.

FORMAÇÃO
EY: MBA digital disponível para 284 mil funcionários

Currículo inclui inteligência artificial, blockchain e automação de processos robóticos.

FUTURO
Como criar estratégias de AI em sua empresa?

Problemas de implementação de ERP ou CX não são motivo para não começar com AI.

CAPACITAÇÃO
CI&T tem inglês para funcionários com Voxy

Multinacional brasileira tem 2,7 mil funcionários em escritórios de sete países.