Informatizar a saúde é uma necessidade. Foto: Stokkete / Shutterstock

Alert, Benner e Deloitte anunciaram uma oferta estilo “pacotão” focada no setor de saúde, atualmente em implementação em dois clientes e com planos de chegar em 10 em 2015 e 20 já no ano seguinte.

O pacote inclui  revisão de processos, a cargo da Deloitte e implantação de softwares de administração clínica da Alert e do sistema de gestão da Benner para as áreas financeira, contábil e de RH. 

A solução já está sendo implantada em duas instituições capixabas, o Hospital Santa Casa de Misericórdia de Vitória e a instituição de ensino superior Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória.

Com quase mil funcionários e 261 leitos e receita operacional bruta de R$ 60 milhões, a Santa Casa de Vitória é a segunda mais antiga do país. A Escola Superior oferece cursos de Medicina, Farmácia, Enfermagem e Serviço Social e foi fundado pela organização nos anos 60.

“Em 2015, os hospitais estarão muito focados, principalmente por conta da crise, em otimizar processos capazes de aprimorar a excelência operacional, ou seja, fazer mais com menos”, explica Ernani Almada, diretor de saúde da Benner.

De acordo com Almada, o foco da parceria entre as empresas é oferecer resultados financeiros de curto prazo (quick-wins), assim como maior eficiência operacional, gestão de processos aprimorada, redução de custos e aumento de receitas.

As empresas tem bala na agulha esse ramo. A divisão de saúde da  Deloitte emprega 250 consultores no Brasil.

A Benner e a Alert já atuam juntas no mercado brasileiro desde abril de 2012, quando a companhia catarinense anunciou uma fusão com o subsidiária brasileira da multinacional portuguesa, a Benner & Alert.

Juntas, as empresas projetavam chegar a R$ 300 milhões em faturamento até o final de 2015.