Nokia enfrenta problemas de mercado e de caixa. Foto: flickr.com/photos/johnkarakatsanis

Tamanho da fonte: -A+A

A fabricante finlandesa de celulares Nokia terminou o segundo trimestre com prejuízo de € 1,41 bilhão, mais do que o triplo das perdas registradas no mesmo período de 2011.

A expectativa de analistas era de resultado negativo de € 654 milhões.

A reserva de caixa da companhia, por outro lado, aumentou em € 306 milhões na comparação anual, devido a vendas de patentes para a Microsoft.

“A Nokia está tomando providências para ajustar-se a este período de transição”, disse Stephen Elop, presidente da companhia.

A Nokia vendeu 10,2 milhões de smartphones entre abril e junho, abaixo dos 12 milhões de um ano atrás. Por outro lado, as vendas totais de aparelhos, incluindo os mais básicos, subiram de 82,7 milhões para 83,7 milhões de unidades, na mesma base de comparação.

O preço médio de venda de smartphones da Nokia aumentou de €  141 para €  151.

As vendas líquidas da companhia no segundo trimestre somaram € 7,5 bilhões, ante € 7,4 bilhões obtidos no mesmo período de 2011.

A divisão de dispositivo e serviços teve queda de 5% nas vendas líquidas entre o primeiro e segundo trimestres, para 4 bilhões de euros, e atingiu uma margem negativa de 9,1% no resultado, sem considerar, neste caso, o padrão internacional IFRS.

Em 2011, segundo dados do Gartner, a Nokia recuou de 28,9% para 23,8% de participação no mercado de celulares inteligentes.

Mesmo que ainda esteja no topo do mercado, a Nokia é a emaçada pela Samsung (17,7%), Apple (5%, quase o dobro obtido em 2010) e pela chinesa ZTE, com mudança de 1,9% para 3,2% de share no ranking do Gartner.