A salvação da pátria? Foto: Molon Labe Seating

Não há limites para o que mentes inovadoras bem intencionadas podem atingir: vejam se não o exemplo do time da Molon Labe Seating, que acaba de dar um jeito no problema da poltrona do meio nos aviões, um destino temido por todos os viajantes.

Para o novo design, chamado de S1, a empresa melhorou um pouco a situação desse assento situando ele alguns poucos centímetros para trás e um pouco mais abaixo dos outros, além de aumentar a largura em sete centímetros.

Pode parecer pouca coisa, mas no conjunto da obra o novo assento dá um pouco mais de espaço para os braços, ombros e cotovelos do pobre viajante da classe econômica, e, o que é mais importante, sem reduzir a capacidade total do avião, que é a única coisa que importa.

A empresa também deu um jeito no braço que divide as poltronas, com o qual espera eliminar as brigas de cotovelo pelo apoio.

O novo design já foi aprovado pelos órgãos reguladores americanos e deve entrar em funcionamento em 50 aviões de uma empresa americana ainda não revelada para o final de 2020. O produto é focado em voos regionais de algumas horas de duração.

De acordo com a Fast Company, que vem cobrindo as aventuras da Molon, estão em projeto modelos chamados S2 e S3, que devem ser focados em voos de maior duração.